27 de julho de 2012

Relato: Travessia São Francisco Xavier/SP - Monte Verde/MG pela Trilha do Jorge

Assim que retornei do Parque do Ibitipoca, no dia 13 de Julho (relato aqui), já queria fazer uma outra caminhada, mas dessa vez na Serra da Mantiqueira.
É a Travessia de São Francisco Xavier a Monte Verde pela Serra dos Poncianos. 
A logística para essa travessia era relativamente fácil: sair bem cedo de Sampa no Domingo (15 de Julho de 2012) em direção a São José dos Campos a tempo de pegar o circular das 10:00 hrs para São Francisco Xavier e de lá cruzar a Serra da Mantiqueira em direção a Monte Verde. Não dei muita sorte porque a Natureza só mandou chuva e com isso essa caminhada não terminou como eu tinha imaginado.


Foto acima: na Trilha do Jorge, antes de chegar na Pedra da Onça





Fotos dessa caminhada: clique aqui

Tracklog para GPS: clique aqui



Ruas de São Francisco Xavier
Meu planejamento era esse: ao chegar em S. Francisco Xavier, seguir até a crista da serra pela Trilha do Jorge e acampar na Pedra da Onça, que é também conhecido pelo nome de Mirante. Na Segunda-feira pela manhã (16/07) tomar a trilha à sudoeste pela crista em direção à Pedra Partida e de lá desceria até o centro de Monte Verde para depois retornar pela Trilha do Jorge e acampar novamente no Mirante ou em algum outro ponto da trilha.
E no dia seguinte (Terça-feira) descer para S. Francisco Xavier, completando o circuito. 
No retorno para S. Francisco Xavier encontraria a Márcia e a Sophia e ficaríamos por alguns dias para aproveitar as férias de ambos.
Como ia ser minha primeira vez já fui com a expectativa de pegar uma trilha fechada com vara mato e alguns perdidos, porém o que me preocupava mais eram as chuvas. Não poderia adiar essa travessia, porque no dia 21/07 já tinha agendado a Rebouças-Mauá, no Parque do Itatiaia (relato aqui).
Segundo a meteorologia, apesar da região da Mantiqueira estar nublada a vários dias, havia a perspectiva de melhoras a partir do dia 16 e agora era torcer para que as previsões estivessem certas.
Rodoviária de S. José dos Campos
Saí de São Paulo na manhã de Domingo chegando em S. José dos Campos pouco antes das 09h30min e no terminal de circulares fiquei aguardando o ônibus da empresa Cidade Natureza que faz a linha até S. Francisco Xavier. 
Ele é todo azul e é bem fácil identificá-lo e no horário programado ele seguiu relativamente vazio. 
A estrada é bastante sinuosa e um pouco perigosa, porém todo o trecho é asfaltado e por volta das 11:00 hrs chegamos na Rodoviária de Monteiro Lobato. Não durou muito tempo e voltamos para estrada, chegando em S. Francisco Xavier pouco antes das 11h30min.
Placas na estrada de S.Francisco Xavier
Como eu já conhecia o lugar de alguns anos atrás, quando fiz a Travessia Monte Verde-São Francisco Xavier pela Trilha da Fazenda Santa Cruz (relato aqui) já segui direto para a estrada em direção a Joanópolis, passando pelo cemitério e uns 10 minutos depois já chegava na placa de sinalização que apontava Estrada dos Ferreiras (seguiria por ela até o alto da serra) e Pousada Itaky para a direita. 
Quando passei aqui em 2005 lembro também que existia a placa de Fazenda Monte Verde, mas retiraram. A altitude aqui é de pouco mais de 700 metros e devo chegar a quase 2000 metros, no topo da Pedra da Onça, onde está o Mirante. 
Gruta na subida da estrada
Seguindo a Estrada dos Ferreiras, viro à esquerda alguns metros à frente e por volta das 11h45min inicio a longa subida pela estrada de terra. 
Depois de algumas casas, a estrada dá uma amenizada, mas é sempre subindo. 
As 12h30min passo ao lado de uma pequena gruta artificial com a imagem de N. Sra Aparecida onde escorre uma água gelada, mas ainda é muito cedo para um descanso e por isso continuo a caminhada. 
Vou parando somente para alguns clics do distrito que vai ficando para trás e o visual que eu tenho não é nada animador. Muita neblina, tanto no fundo do vale quanto na crista da serra. 
Fazenda Monte Verde
Exatamente as 13:00 hrs (1h30min desde o distrito) chego na Fazenda Monte Verde. 
Aqui é o fim da estrada e no estacionamento do lado esquerdo encontro uma van e mais 4 carros estacionados. 
Por ser um Domingo era natural que o lugar estivesse cheio mesmo.
Depois de alguns clics atravesso uma cerca de arame e inicio a caminhada pela trilha propriamente dita, que na verdade é uma antiga estrada muito bem conservada, mas é só para ter acesso a uma porteira de um sítio mais acima.
Trilha no início
E depois da porteira, logo à frente a trilha vai se afunilando e se transformando em uma autêntica trilha ou quase e nesses primeiros 30 minutos cruzo com 3 grupos que estavam descendo por ela. 
Um deles era de 4 jovens e todos com mochilas cargueiras e com certeza estavam acampados no alto da serra ou fazendo a travessia no sentido inverso ao que eu ia fazer. 
Os outros 2 grupos eram bem mistos e tinham pessoas mais velhas e disseram que estavam voltando de uma cachoeira logo acima. 
Conforme avanço trilha acima quase que em zig zag, a neblina começa a ficar mais espessa e as 14h15min chego em uma bica dágua do lado esquerdo e perfeito para uma parada. 
Bifurcação - Dir: Monte Verde - Esq: Pedra da Onça
Decido parar aqui para um pequeno descanso e para comer alguma coisa e logo retomo a caminhada. 
Conforme avanço trilha acima, vou cruzando com mais alguns pequenos riachos e pouco antes das 15:00 hrs (uns 20 minutos desde o local onde parei para descansar) chego ao último ponto de água (pegue água aqui porque próximo do topo não vai ter).
As 15h10min chego na bifurcação principal da trilha, na altitude de 1850 metros. 
À direita é a continuação da Trilha do Jorge que vai terminar em Monte Verde, junto das Missões Horizontes e à esquerda é a trilha que leva até o Mirante (Pedra da Onça), onde sigo depois de um pequeno descanso.
Mata fechada
A trilha é bem demarcada e depois de uns 5 minutos cruzo com um marco de concreto que parece ser a divisa SP/MG. 
Esse trecho de subida é um pouco mais íngreme e alguns minutos depois vou passando ao lado de matacões (pedras) e em um deles é perfeito para um bivaque embaixo da pedra (quem não quiser trazer barraca, esse é o lugar para bivacar). 
Junto das pedras a mata se abre do lado direito e o Sol aparece, mas a felicidade não dura e em poucos minutos a neblina logo volta e toma conta novamente.
A trilha é bem demarcada e não apresenta bifurcações. 
Topo da Pedra da Onça
E as 15h40min chego no topo da Pedra da Onça, que é um enorme descampado plano que comporta inúmeras barracas, mas estava deserto na hora em que cheguei. 
A altitude aqui é de pouco menos de 2000 metros e se não tivesse a neblina, a Pedra Partida poderia ser vista daqui, a oeste.
Monto minha barraca ao lado de uma pedra e junto ao centro do descampado, onde encontro uma grelha deixada por alguém e depois vou explorar um pouco o lugar ao redor.
À sudoeste encontro a trilha bem demarcada que leva até a Pedra Partida e é por ela que eu vou seguir no dia seguinte pela manhã, isso se o tempo ajudar.
Tudo encoberto
Um pouco à leste encontro uma caixinha de metal com um livro do cume, assinado por várias pessoas onde também deixo minha mensagem e volto para a barraca. 
O que me deixa desanimado é a neblina que não permite o visual dos 2 lados da serra. 
Agora é torcer para que na manhã seguinte o tempo esteja totalmente aberto. 
Por volta das 16h30min, quando já estava dentro da barraca chega um grupo de umas 5 pessoas e todos jovens, mas não ficaram muito tempo e logo voltaram para a trilha.
Quando anoiteceu preparo meu jantar e logo me enfio no saco de dormir porque a temperatura caiu rapidamente. 
Garoa pela manhã
A noite foi tranquila e sem rajadas de vento, comuns nessa altitude, porém uma má notícia assim que acordo por volta das 07:00 hrs. 
Está caindo uma leve garoa e a neblina está mais forte do que no dia anterior e fico ainda dentro da barraca para esperar o tempo melhorar e quem sabe a garoa cesse, mas chega 08:00, 09:00, 10:00 hrs e nada do tempo melhorar e não me restou outra opção a não ser cancelar de vez a travessia até a Pedra Partida.
Continuar a caminhada pela crista da Serra dos Poncianos estava fora de questão, já que não valia a pena caminhar com garoa e sem visual nenhum e por isso decidi voltar para a Trilha do Jorge e descer para Monte Verde.
Sem visual nenhum
Recebi também pelo celular uma mensagem da Márcia dizendo que o tempo em São Paulo também estava muito ruim, avisando que não iria para S. Francisco Xavier, como tínhamos planejado. 
E com isso, de Monte Verde eu teria de voltar para São Paulo.
Por ser uma travessia que pode ser feita em 2 dias sem correria, ainda penso em retornar algum dia para fazer essa travessia dos Poncianos, mas dessa vez com a certeza de tempo bom.
Como eu já tinha feito a trilha pela crista dos Picos do Selado, Chapéu do Bispo, Pedra Redonda e Pedra Partida e a descida para S. Francisco Xavier pela Trilha da Fazenda Santa Cruz em 2005, a única caminhada que me faltava nessa região era a dos Poncianos, então algum dia eu volto.
Descendo do topo
Desmontada a barraca e com a mochila nas costas, as 11h15min inicio a descida para a bifurcação e com a vegetação muito molhada e a garoa que não para, sou obrigado a colocar uma capa de chuva e uma outra na mochila e assim vou pela trilha. 
Ao passar pelos matacões encontro um casal bivacando embaixo da pedra e as 11h30min chego na bifurcação e daqui sigo na direção de Monte Verde, à esquerda. 
Já desse lado a trilha parece ser um pouco mais fechada, dando a impressão que a maioria do pessoal que vem de S. Francisco Xavier só chega até o Mirante e depois retorna.
Bosque dos Duendes
Uns 15 minutos depois da bifurcação chego no Bosque dos Duendes.
Um lugar onde as árvores são bastante espaçadas e quase não existindo vegetação no solo, que é coberto por folhas secas. 
É um trecho muito bonito, mas não encontro nenhum duende. 
Seria um lugar muito bom para acampar também, mas o terreno é um pouquinho inclinado e para algumas pessoas pode ser um problema.
Terminado o bosque, a trilha começa a ficar mais íngreme e vai passando por trechos de bambuzal, quase fechando a trilha, mas não se preocupe, a trilha está lá e é bem demarcada. 
Cerca no final da trilha
As 12h15min cruzo com o primeiro riacho na trilha, onde pulo por algumas pedras e continuando a descida pela mata fechada chego em mais um outro riacho, pouco antes das 13:00 hrs e aqui foi complicado atravessar porque existe um tronco de madeira sobre o rio que é bastante escorregadio. 
Eu peguei um galho de árvore para me apoiar, mas não teve jeito. Encharquei minha bota ao pisar no brejo. 
Deu uma p. raiva porque a minha bota estava sequinha e só foi atravessar o rio e mais alguns metros eu estava terminando essa trilha.
Fim da trilha junto do barril
Exatamente as 13:00 hrs cruzava uma cerca de arame que delimitava a Fazenda que pertence a Melhoramentos e aqui encontrei restos de fogueira bem recentes e por ser um local plano e descampado, com certeza muitos acampavam aqui.
Por entre as árvores já era possível ver os fundos das Missões Horizontes.
Mais alguns metros de trilha e saio em uma ruazinha de terra, onde existe um enorme barril azul para se colocar lixo. 
Por não estar mais garoando e daqui para frente é só trecho pela rua até o centro de Monte Verde, troco toda a roupa aqui mesmo.
Em seguida fui descendo pela ruazinha até chegar no portão das Missões, que é o final da Rua Taurus. 
Cavalos passeando Rua Taurus
Ela é de terra e aqui o Sol dá as caras, só para me deixar mais frustrado ainda.
Seguindo a rua, vou passando por várias placas de pousadas, chalés e a bifurcação para a Pedra Redonda e Pedra Partida, por onde eu poderia estar descendo e logo à frente passo por um portal.
As 13h50min chego na praça principal de Monte Verde, ao lado do Bradesco, na altitude de 1550 metros e nem resolvo visitar algumas lojinhas ou almoçar alguma truta.
Já sigo direto para o ponto final do circular para Camanducaia e as 15:00 hrs embarco nele à tempo de pegar o ônibus das 16h50min de volta para São Paulo.
Foi uma caminhada perdida, mas pelo menos conheci uma trilha que eu nunca tinha caminhado e quem sabe daqui a alguns anos volte para finalizar do jeito que eu tinha planejado. 







Algumas dicas e informações úteis

# Em Outubro de 2013 voltei novamente lá nessa trilha com um colega, mas fizemos a travessia até Monte Verde em apenas 1 dia. Foi na verdade um bate-volta só com uma pequena mochila de ataque. 
Dessa vez peguei um tempo muito bom com bastante Sol. As fotos estão no Flickr: clique aqui.

# Essa travessia também é conhecida por um outro nome: Trilha do Caçador. 

# Os melhores horários de ônibus de S. José dos Campos para S. Francisco Xavier são: 08:00 – 10:00 e 12:00 hrs. A empresa é a Cidade Natureza – (12) 3913-3301. Nas fotos mais recentes do link acima, coloquei todos os horários que levam até SFX. 

# Existe outra empresa que opera essa linha de S. José dos Campos até S. Francisco Xavier, que passa pela Cachoeira do Roncador. Horário das 09h30min. 

# Em S. Francisco Xavier existem inúmeras pousadas e para todos os bolsos. O ideal é ficar nas pousadas do centro já que é mais fácil encontrar restaurantes para o almoço e jantar.

# Um passeio muito bom e que pode ser feito em 1 dia inteiro é na propriedade da Pousada do Rochedo. O lugar possui inúmeras cachoeiras, nascentes e mirantes. 
Quem não está hospedado na Pousada é possível pagar somente uma taxa de “Day Use” por um valor bem baixo.    

# Outro passeio imperdível é na Cachoeira Pedro David, que não fica muito longe do centro de S. Francisco Xavier e no local funciona um recanto turístico.

# Encontrei poucos lugares planos onde é possível acampar no meio da Trilha do Jorge. No Bosque dos Duendes seria um lugar perfeito, já que o solo é coberto de folhas e bem espaçado entre as árvores, mas o terreno é pouco inclinado. Até existem bons lugares, mas tem de procurar.

# Em toda a trilha não encontrei sinal para celular da Vivo. Só mesmo no topo da Pedra da Onça.

# Essa Trilha do Jorge é possível fazê-la em apenas 1 dia somente com mochila de ataque. 
O problema é chegar em Monte Verde a tempo de pegar o último circular para Camanducaia e de lá para São Paulo. 
Acampando na Pedra da Onça é possível fazê-la tranquilamente em 2 dias.

# Por já ter feito a outra travessia de Monte Verde a S. Francisco Xavier que passa pela Fazenda Santa Cruz, considero a trilha do Jorge bem mais tranquila. Recebi também informações recentes que o dono da Fazenda Santa Cruz não permite que passe pela sua propriedade. Uma pena.

# Na internet se encontra inúmeros tracklogs da Trilha do Jorge, que são totalmente  desnecessários. É uma trilha bem demarcada e sem bifurcações.

# As pousadas de Monte Verde são bem mais caras que as de S. Francisco Xavier. 
No Bairro Operário, onde se localiza o ponto final do circular até Camanducaia, é possível encontrar pousadas mais baratas.

# Os horários do circular de Monte Verde para Camanducaia podem ser conferidos nesse site abaixo:

# Em Monte Verde, o melhor local para embarcar no circular para Camanducaia é seguir para o portal da entrada e cerca de 200 metros antes de chegar nele, existe um pequeno trevo onde tem um ponto de ônibus.

# Tempos de caminhada:
- Centro de S. Francisco Xavier até a Pedra da Onça: cerca de 4 hrs
- Pedra da Onça até o centro de Monte Verde: cerca de 3 hrs

36 comentários:

  1. Olá Augusto! demais essa travessia hem!! achei bem interessante.
    Estou pensando em fazer umas trilhas pro Monte Verde nesse próximo feriado, Tem alguma dica que possa me dar? Alguma sugestão de trajeto? Pensei em ir até a pedra partida, acampar e voltar no outro dia. É tranquilo para acampar por lá? Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Thiago, blz?

      A melhor caminhada de Monte Verde são os picos da crista: Pico do Selado, Pedra Redonda e Pedra Partida que dá p/ ser feito em uns 2 dias, mas o problema é acampar na Pedra Partida, já que o espaço disponível é bem pequeno.
      Ou vc pode fazer no sentido da Pedra Partida até o Selado e acampar na trilha, próximo do Chapéu do Bispo.
      Aqui no blog eu tenho um relato que eu fiz desse circuito.
      É a Travessia de Monte Verde até SF Xavier pela Trilha da Fazenda Sta Cruz.
      Tem muita coisa interessante lá que pode te ajudar, mas qqer duvida, estamos aí.

      Abcs

      Excluir
  2. Blz Augusto!! Valeu pelas dicas!!
    Como vou com mais 3 pessoas que não têm experiencias, estava pensando em subir pelo platô mesmo, e ir até o pico do selado, lá vi em alguns relatos, inclusive no seu, que da para acampar.
    Daí no outro dia, dependendo da animação do pessoal, partimos rumo ao outro extremo, para a pedra partida, de lá na hora a gente decide o que fazer..rsrsr

    Valeu!! Abcs

    ResponderExcluir
  3. Sem querer pedir de mais, mas já pedindo, vc saberia informar a distância entre cada um dos picos??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Blz Thiago.

      O Pico do Selado até dá p/ acampar, mas só no meio da trilha e lugar exposto.
      Fica bem próximo do pico e se já tiver ocupado, é complicado achar outro.
      Montei a minha barraca em cima de uma enorme rocha por causa das chuvas, próximo do pico, mas não é confortável.

      Qto a distancias, aí fico te devendo, mas se vc quiser fazer toda a crista, saindo do Pico do Selado até a Pedra Partida dá p/ fazer tranquilamente em pouco mais de 3 horas.
      Pode ir sossegado e sem pressa.
      O trecho mais desgastante é entre a Pedra Redonda e Pedra Partida.


      Abcs

      Excluir
  4. Oi Augusto, ja li mtos relatos em seu site e gostaria de uma ajuda estou pensando em ir para o pico do selado. Gostaria de algumas dicas é possivel??? É possivel ir ate o cume em solitario? Obrigado, namastê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Rogério, blz?
      Chegar no Pico do Selado é super tranquilo, mesmo sozinho.
      A trilha é bem demarcada.
      Talvez só uma pequena dificuldade de encontrar o início dela quando chegar no Platô, mas sem maiores problemas de navegação em toda a trilha.
      Tenho um relato que é de 2005, mas não mudou nada desde então.
      Coloquei nele toda a descrição e as dicas de como chegar lá no topo. Veja no link:
      http://trilhasetrips.blogspot.com.br/2013/04/relato-picos-de-monte-verde-e-travessia.html

      Qualquer outra dúvida, pode postar lá na página do relato.


      Abcs

      Excluir
    2. Valeu Augusto, é de grande valia sua ajuda!
      Forte abraço!

      Excluir
    3. Pode ir sossegado Rogério.
      A trilha que leva até o Pico do Selado é bem demarcada e vc tem 2 boas opções por onde inciar a trilha.
      Passando pelo Chapéu do Bispo ou seguindo direto, saindo do Café Platô, como eu fiz.


      Boa sorte.

      Excluir
  5. Olá Augusto, blz? Vc sabe se de Monte Verde para SFX existe alguma estrada, onde dê para descer de bike ou só existe a trilha mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existe sim uma estrada que liga MV a SFX.
      Veja nesse tracklog:
      http://pt.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=1675027

      O caminho para chegar em SFX é o mesmo até Joanópolis.
      É só ficar atento a uma bifurcação na estrada. Lá tem uma placa apontando SFX p/ esquerda.
      É o único caminho que eu conheço onde a bike pode passar.


      Abcs

      Excluir
  6. Olá Augusto,tudo belezinha? Então. Estarei indo pra monte verde dia 15 de junho e pretendo fazer Pico do Selado, Pedra Redonda e Pedra Partida. Vou com um grupo de 6 pessoas iniciantes em trilhas e algumas nem sabem armar barraca direito kkkk. Você acha que chega ser muito difícil essas trilhas para iniciantes? E se você tiver um alguma dica de oque levar na mochila agradeço! vlw e continue postando estes incríveis posts! vlwwwww

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí blz?
      Já fiz algumas vezes esse mesmo roteiro que vcs pretendem fazer.
      O que eu recomendo é seguir esse relato abaixo:
      http://trilhasetrips.blogspot.com.br/2013/04/relato-picos-de-monte-verde-e-travessia.html

      Talvez o único trecho onde vc pode ter uma pequena dificuldade é encontrar a bifurcação que sai do Platô p/ o Pico do Selado.
      Existia uma placa lá, mas o pessoal escondia ela.
      Só para as pessoas fazerem com guias credenciados, o que eu acho desnecessário.
      Sinceramente as trilhas que eu faço não são para iniciantes.
      Talvez a trilha mais tranquila e fácil seja chegar no topo da Pedra Redonda, onde existe uma estrada que leva até a base da Pedra e dali é só seguir as placas.
      Pico do Selado pode ser um trilha demarcada, mas sempre vão existir dificuldades para quem não tem experiencia em trilhas.
      Estando no grupo algumas pessoas experientes, aí se torna mais fácil.

      Abcs

      Excluir
  7. Olá Augusto! Gostaria de saber se é possível fazer essa trilha ou se tem outra para o mesmo destino indo de bike? Meu destino final e principal é Monte Verde.

    Obrigado e Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Valmir, tudo bom?
      Essa trilha é muito ingreme e passando a Fazenda Monte Verde vc não vai conseguir pedalar na trilha. Nesse trecho de subida a trilha tá bem demarcada, mas depois que chegar na crista e estiver descendo em direção a Monte Verde, ela se torna muito fechada para a bike. Creio que vc vai ter de empurrá-la todo o trecho dessa caminhada.
      O que eu recomendo é vc seguir de SF Xavier em direção a Joanópolis e quase na metade do caminho vc irá encontrar uma bifurcação à direita que leva até Monte Verde.
      Eu cheguei a fazer o trecho de Joanópolis a Monte Verde de moto e é muito lindo. Muitos mirantes e visuais lindos.
      Veja esse tracklog:
      http://pt.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=1675027

      Abcs

      Excluir
  8. Olá Augusto beleza ?

    É possivel fazer essa trilha em um final de semana saindo de São Francisco sabado pela manha pra dormir em Monte Verde e voltar domingo pra São Francisco ?

    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí Luziano, tudo bom?
      Sim, esse roteiro é perfeitamente possível.
      Dá para passar ainda pela Pedra da Onça e depois descer para Monte Verde, retornando no dia seguinte.
      Tentei fazer esse mesmo roteiro, mas peguei tempo fechado e vi que não valia a pena.

      Abcs

      Excluir
    2. Maravilha então...

      É seguro fazer sozinho ?

      Excluir
    3. O trecho da trilha, a partir da Fazenda Monte Verde até a crista da serra, é tranquilo e bem demarcado, já que antigamente ali era uma estrada.
      Já, qdo estiver descendo para Monte Verde, alguns trechos merecem atenção e é preciso tomar um pouco de cuidado. A mata é bem fechada e um ou outro trecho pode estar com a vegetação fechando a trilha.
      Mas se vc tiver um pouco de experiencia em trilhas, não terá problemas.
      Não existem bifurcações na descida até MV, então é só seguir pela trilha.

      Abcs

      Excluir
  9. Erica vexel10 julho, 2015

    Augusto, muito legais seus relAtos, eu e uma amiga vamos agora dia 14 de sfx pra monte verde, e seguiremos suas orientaçoes. So me esclarece por favor, se formos de sfx pela trilha do jorge, conseguimos subir na pedra da onça e fazer mais quais pedras para chegar em mv ainda dd dia, ou e melhor seguir direto ds sfx pra mv sem passar nessas pedras. Qto tempo pra um e qto tempo pra outro? Erica Vexel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Erica, tudo bom?
      Infelizmente só estou lendo sua pergunta agora.
      Estava viajando com a familia - em breve tem um novo relato.
      Qto sua dúvida, é possível sim sair de SFX, passar pela Pedra da Onça e descer p/ Monte Verde, mas p/ isso vc teria de sair da Pedra da Onça em direção a MV no máximo até as 15:00 hrs.
      Pois o tempo de descida é de aproximadamente 2 horas até o fim da Rua Taurus.
      Já para a subida, saindo de SFX, creio que no máximo em 3 horas dê para sair da cidade e chegar no topo da Pedra da Onça..
      Esses tempos é somente para uma mochila de ataque, que é bem mais leve que uma cargueira hein.
      Vale a pena passar pelo topo sim.
      O visual de lá é lindo.

      Boa sorte.

      Abcs

      Excluir
  10. Olá Augusto, em primeiro lugar obrigado pelo relato. Estou pensando em fazer essa travessia com a minha namorada e estamos com uma duvida, pelo que andei lendo a trilha de descida da pedra da onça até MV não é muito bem demarcada. Temos alguma experiência em trilhas mas é nossa primeira vez nessa região e estamos um pouco receosos. Estava pensando em acampar na pedra da onça e no dia seguinte retornar até a trilha do Jorge para seguir a MV. Alguma recomendação?

    ResponderExcluir
  11. Ola Gabriel, blz?
    Minha sugestão é a seguinte.
    Ao chegar na bifurcação que leva para Monte Verde e para Pedra da Onça, siga na trilha para MV por alguns minutos até chegar no Bosque dos Duendes. Se chegou até sem grandes dificuldades, dali para frente não terá dificuldades.
    Talvez um ou outro trecho com vegetação fechando a trilha, mas nada impossível.
    E não precisa agradecer.
    O relato tá aí para ajudar as pessoas mesmo.
    É o minimo que posso fazer.
    Boa sorte e boa caminhada.
    Abcs

    ResponderExcluir
  12. Augusto, boa tarde!
    Vou fazer a trilha a convite do meu filho, vai um amigo dele também. Como moramos em Campinas, vamos de carro até Francisco Xavier, deixamos o carro e fazemos a trilha. É possível fazer ida e volta em dois dias? Iniciaria no sábado de manhã e voltaria no domingo à tarde? Ou, tem outra alternativa de condução, voltar de Monte Verde para Francisco Xavier e pegar o carro? Augusto, agradeço se você puder me responder até o final de semana. Marcamos para fazer a trilha no dia 11 e 12 de março de 2017. Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pedro, tudo bem?
      Eu creio que é possível sim fazer ida e volta em 2 dias.
      Talvez deixando o carro em um grande estacionamento junto ao inicio da trilha.
      Ou ate na cidade e contratando um transporte para te deixar junto a Fazenda Monte Verde.
      Se vcs não forem sedentários, da para ir sem pressa e até passando pelo Pico da Onça.
      Para não terem problemas levem o tracklog.
      É mais seguro.

      Boa sorte e cuidado com as chuvas.

      Abcs

      Excluir
    2. Augusto, muito obrigado pelas informações!
      O meu filho comprou recentemente um GPS da Garmin, iremos utilizar.
      Espero que o tempo seja de sol!
      Abraços!

      Excluir
  13. Augusto, tudo bem?

    Estou pensando em fazer esse percurso de bike para cortar caminho. Penso em ir de São José dos Campos e seguir até Bragança Paulista, passando por São Francisco Xavier. De Monte Verde até Bragança o caminho já é meio manjado. Acha que dá para fazer esses quase 15km de Bike?

    Muito obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nao recomendaria.
      A trilha não é tão demarcada.
      Levar uma bike para essa trilha é pedir para empurra-la.
      Mata fechada e terreno muito irregular.
      Abcs

      Excluir
  14. Santo Augusto, achei o próximo desafio. Rsrsrs
    Você acha que da pra armar a barraca no pico? Vou tentar fazer está travessia nos próximos dias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Blz Delgado.
      A Pedra da Onça é o melhor local dessa travessia para acampar.
      Só não tem agua, mas aí na trilha vc cruza com vários riachos.
      Aproveite.

      Abcs

      Excluir
  15. Acampamento lotado neste feriado!! Vc estava por lá também!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, muito lotado.
      Chegamos na Pedra da Onça na Sexta por volta das 6 da noite e quase não encontramos lugares.
      Como vc soube que eu fui lá?

      Vc era um dos que vem estavam numa das 26 barracas por lá?

      Abcs

      Excluir
  16. são paulo 18/06/2017. olá augusto tudo bem? augusto eu estava vendo suas fotos de sua tragetoria pela trilhas. augusto eu sou um atleta corro pelo palmeiras sou maratonista augusto fala para mim são francisco xavier e um lugar ideal para um maratonista morar existe muitas trilhas em são francisco xavier?? olha um grande abraço você e um guerreiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Severino.
      Agradeço pelas pelas palavras, mas sou um reles trilheiro.
      Pelo que conheço de São Francisco Xavier, posso te dizer que são poucas trilhas, que somente ligam o Distrito á Monte Verde. Existem as trilhas dentro de propriedades particulares. Mas na região tem muita estradas de terra.
      Principalmente uma muito extensa que liga SFX a Joanopolis e Monte Verde.
      Mas se procura lugar com muitas trilhas, recomendo Campos do Jordão/SP e Itamonte/MG.
      São tipicas cidades de montanha e com muito mais trilhas que SFX.
      Boa sorte.

      Abcs

      Excluir
  17. Olá, Augusto. Tudo bem? A trilha do Jorge de SFX até MV é uma trilha particularmente recomendada pra quem tá começando agora no trekking? Seu relato já faz algum tempo, vc sabe quais são as condições da trilha atualmente?
    Obrigado, Augusto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí Sandro, blz?
      Sim, essa é uma trilha para iniciantes no trekking.
      Apesar de ser um pouco cansativa pelo desnivel, a trilha tá bem demarcada, cruza com vários riachos e tem fácil acesso.
      Em Maio desse ano fiz uma travessia na região e passei por toda a extensão da Trilha do Jorge no sentido MV-SFX e encontrei ela mais demarcada ainda.
      Então pode ir tranquilo.
      Veja no relato mais recente.
      http://trilhasetrips.blogspot.com.br/2017/05/relato-travessia-da-serra-dos-poncianos.html

      Boa sorte

      Abcs

      Excluir