11 de junho de 2018

Dicas: Parque Estadual do Juquery – Franco da Rocha/SP

Há muitos anos vinha tentando conhecer esse parque, mas sempre faltava uma oportunidade. 
Quando o fim de semana era de Sol e não tinha nenhum compromisso, preferia pegar o trem para Mogi das Cruzes e de lá seguir para as cachoeiras da Serra do Mar de Biritiba Mirim, nesses diversos relatos.
Outras opções eram chegar no topo do Pico do Jaraguá ou caminhar nos diversos Núcleos do Parque da Cantareira (são 4 ao todo), mas que estavam se tornando repetitivos para mim.
Região de Paranapiacaba era um lugar bom também, mas não estava a fim de ficar correndo dos fiscais que ameaçam pessoas com multas para quem não faz as trilhas com acompanhamento de guias.
E agora com as temperaturas mais baixas, tinha que deixar de lado as cachoeiras e procurar novas opções de caminhadas próximos a Sampa e com com acesso fácil.
E o Parque do Juquery caiu como uma luva. O lugar é relativamente novo, com acesso fácil por trem e ônibus circular e o mais importante; era inédito para mim. 
Por ser um dos últimos resquícios de cerrado na região metropolitana, seria uma forma de curtir um Domingo de Sol com visual panorâmico em algumas trilhas do parque. 



Na foto acima, Morro Ovo de Pata ao fundo, considerado o ponto mais alto do Parque

Fotos dessa caminhada: clique aqui

Tracklog da trilha Ovo de Pata: clique aqui




- O lugar se transformou em parque a poucos anos. Foi criado em 1993 com objetivo de preservar importantes áreas que ainda restam de vegetação nativa da mata atlântica e dos mananciais do Sistema Cantareira, principalmente o último remanescente do bioma cerrado, ainda preservado na região metropolitana.

- Tem como símbolo uma ave típica do cerrado e presente no parque que é a Seriema. 

- O topo do Morro Ovo de Pata é o ponto mais alto do lugar, com 942 metros. 

- Logo depois da entrada, existe um parquinho infantil, sanitários e água potável. E nada mais. 

- Lá dentro não tem lanchonete ou ambulantes e por estar localizado junto de uma Rodovia, também não existe nenhum comercio próximo do lado de fora. 

- Então se quiser ficar algumas horas no Parque caminhando pelas trilhas, traga lanches ou alguma coisa para comer. 

- Água potável também é um item escasso e só vai encontrá-lo em apenas 2 pontos: na entrada do parque pela Portaria 1 e em um local chamado de Nascente do Cerrado. É uma bica de água natural localizada a uns 10 minutos seguindo pela trilha do Ovo de Pata e da Arvore Solitária. Junto dela existem alguns bancos para descanso e uma área de sombra embaixo de uma árvore.

- Outro ponto de descanso fica a uns 30 minutos seguindo pela Trilha do Ovo de Pata em um local chamado de Quiosque da Seriema, onde existe uma área coberta com sanitários, mas sem água potável.

- Durante as caminhadas pelo parque não encontramos nenhum animal e áreas de sombras são raras, por isso protetor solar, óculos de Sol e um boné são itens obrigatórios.

- As árvores estão nos fundos de vale, onde ficam as matas ciliares e ao longo das trilhas a visão é panorâmica de toda região.

- As trilhas, em sua maioria, são antigas estradas de terra e é muito comum encontrar bikes e motos dos fiscais do Parque circulando por elas.

São duas portarias: 
- Principal (P1): localizada em frente a Escola dos Bombeiros e cerca de 5,5 Km da estação ferroviária de Franco da Rocha.

- Portaria 2 (P2): cerca de 3 Km da estação de Franco da Rocha.
Mas existem muitas outras inúmeras entradas clandestinas, que os visitantes usam para adentrar ao parque ou sair dele, que nem vou relacionar aqui. Se possível, evite.

- Entrada é gratuita e existe uma grande área de estacionamento, pouco depois da entrada pela portaria 1.

- O parque é aberto de Terça a Domingo, das 08h00 às 17h00. 




Logística

O Parque se localiza ao norte da Serra da Cantareira, na Rodovia que liga Franco da Rocha a Mairiporã (conhecida como Rodovia do Governo) e para chegar lá são várias opções:

- Trem e ônibus: 
Na Estação Luz da CPTM é só embarcar no trem em direção a Francisco Morato e Jundiaí (Linha 7 – Rubi). 
Descendo na Estação de Franco da Rocha e saindo do lado direito da estação siga na direção sul pela mesma calçada até o Supermercado Russi.
Em frente à entrada do Supermercado fica o ponto final da linha de ônibus da EMTU 049 (Franco da Rocha – Mairiporã), valor: R$ 4,85 (Maio/2018). 
Veja nessa foto os horários.
Seguindo pela Rodovia do Governo em direção a Mairiporã são aproximadamente 10 minutos de ônibus até a Escola Superior do Corpo dos Bombeiros e logo em frente fica a entrada principal do Parque, que é a Portaria 1. 
Outra opção é entrar no Parque pela Portaria 2, localizado bem mais próximo ao centro de Franco da Rocha. 

- Carro pela Rodovia Fernão Dias:
Seguindo pela Rodovia sentido interior, logo após o pedágio de Mairiporã, saia dela à direita e siga à esquerda, passando por debaixo da Fernão Dias, sentido oeste. Cruze toda a cidade de um extremo ao outro na direção de Franco da Rocha, seguindo pela Rodovia do Governo, chamada também de Rodovia Prefeito Luiz Chamma.
Ao passar em frente a Escola dos Bombeiros à direita, a entrada do Parque estará a esquerda. 

- Carro pela Estrada de Santa Inês (por dentro da Serra da Cantareira):
O acesso é pela Avenida Nova Cantareira e logo depois que passar pela Academia da Policia Militar, seguir à esquerda pela Avenida Santa Inês e Estrada de Santa Inês, cruzando a Serra da Cantareira de sul a norte até finalizar junto aos limites do Parque, na Rodovia que segue de Franco Rocha a Mairiporã.
Dali é só seguir por alguns minutos no sentido oeste para chegar em frente ao Corpo dos Bombeiros e do outro lado da Rodovia fica a Portaria 1 do Parque.




Trilhas


No site da Fundação Florestal - clique aqui - consta que no Parque existem 6 trilhas: 
- Yu-kery, 
- Dos Lagos, 
- Árvore Solitária, 
- Ovo da Pata, 
- Gruta dos Pitus e 
- Rio Juquery.


Porém não encontrei qualquer sinalização ou placas indicativas da Gruta dos Pitus e do Rio Juquery.
O mais provável e comum é que o site esteja desatualizado e o Parque não permite o acesso a essas 2 trilhas.

As 4 trilhas que sobraram possuem extensões variadas; algumas têm pouco menos de 1 km de extensão, outras com mais de 13 Km, entre ida e volta.

As trilhas da Árvore Solitária e Ovo de Pata seguem, em sua maior parte, por antigas estradas de terra e são sinalizadas por placas de madeira.

Yu-kery: Com menor percurso de todas, a trilha segue por trechos de mata atlântica com inicio e final próximo à entrada pela Portaria 1. Seu nome deriva de uma planta muito comum no parque de onde os índios extraiam o sal para ser usado nos condimentos, sendo possível observá-la em alguns trechos da trilha. 

Dos Lagos: É uma trilha relativamente curta também e como o nome diz inclui trechos que passam por alguns lagos e com vista panorâmica no ponto mais alto da trilha.

Árvore Solitária: Caminhada que segue pelo mesmo percurso da Trilha do Ovo de Pata e finaliza em uma Copaíba solitária em meio a um campo de cerrado. Quem quiser seguir pela trilha, continua a caminhada descendo até o fundo do vale na direção oeste, passando por um lago com uma pequena cachoeira e uma mini-represa. E de lá seguir pela mesma trilha na direção do Morro Ovo de Pata.

Ovo da Pata: É a trilha mais extensa do Parque. Existe a possibilidade de chegar no topo desse morro por dois caminhos: um deles passando pela Árvore Solitária (mais extensa) e outro pela trilha oficial e sinalizada.

Se quiser ir pela mais extensa, tem de passar pela Copaíba, seguindo na direção do extremo oeste do Parque. Boa parte do percurso dela permite uma vista panorâmica e no topo dela, a 942 metros é possível visualizar partes da Serra da Cantareira, vale do Rio Juquery, Pico do Jaraguá e partes da cidade de Caieiras e Franco da Rocha. 
O problema é a falta de água em toda a trilha – obrigatoriamente pegue na entrada principal ou na Nascente do Cerrado, senão terá problemas. 

Ao longo da caminhada que leva até o topo do Ovo de Pata, a trilha passa próximo de uma Torre de Observação, porém o acesso é proibido.


23 de maio de 2018

Dicas: roteiros do que ver e fazer em Foz do Iguaçu/PR

Dando um tempo nas longas caminhadas, dessa vez fiz uma trip tipicamente turística no meu estado natal e com direito a revisitar lugares que já conhecia de muitos anos atrás. 
Na década de 80 fui com meu irmão por 3x a Foz do Iguaçu, com o objetivo de somente fazer compras no Paraguai e na Argentina e voltar de lá com muitas mercadorias, as chamadas “muambas”. Naquela época valia a pena esse comércio de importados e os que faziam sucesso eram os tênis chineses Faroat, calças Fiorucci, videocassetes, tvs portáteis, toca fitas Roadstar e bebidas. Muitos eram verdadeiras imitações fabricadas aqui mesmo no Brasil e vendidas no Paraguai como se fossem importados. 

Lembro que a viagem era bem cansativa e o único ponto turístico que visitávamos eram as Cataratas do Iguaçu. 
A Usina de Itaipu ainda não dispunha de um roteiro turístico e com exceção das Cataratas, a cidade não tinha muito do que aproveitar.
Mas dessa vez retornava para ficar 5 dias na cidade e conhecer muitos outros pontos turísticos e é claro, fazer compras no Paraguai também. 
E para manter o objetivo do blog, que é o de ajudar outras pessoas que pretendem repetir essa viagem, criei essa postagem. São várias dicas e informações úteis do que conhecer e aproveitar dos pontos turísticos nessa cidade, além das opções de boas compras no Paraguai e como evitar algumas "roubadas".


Foto acima: Cataratas do do Rio Iguaçu pelo lado brasileiro com Garganta do Diabo ao fundo


Fotos dos lugares onde visitamos: clique aqui

Vídeo das danças típicas que gravei no Marco das 3 Fronteiras: clique aqui




Nosso roteiro foi:

1º dia - Sábado: Chegamos no Hotel por volta das 13:00 hrs e depois de almoçar, seguimos para o Marco das 3 Fronteiras no final da tarde.
2º dia - Domingo: Pela manhã visitamos o Templo Budista e durante a tarde seguimos para o Parque das Aves e as Cataratas do Parque Nacional do Iguaçu pelo lado brasileiro.
3º dia - Segunda: Pela manhã fomos conhecer a Mesquita Muçulmana, seguindo de lá para compras em Ciudad del Este, no Paraguai. E a tarde ainda deu para visitar o Duty Free e o Cassino de Puerto Iguazu, na Argentina.
4º dia - Terça: Pela manhã seguimos para mais compras no Paraguai e a tarde visita à Usina de Itaipu.
5º dia - Quarta: Aproveitamos a piscina do Hotel pela manhã e a tarde retorno para São Paulo.


Décadas atrás, quando se falava em Foz do Iguaçu a primeira coisa que vinha à cabeça eram as Cataratas e compras no Paraguai. 
Em Ciudad Del Este o comercio de importados era próspero e muita gente vivia disso. Eram considerados “muambeiros”, comprando mercadorias que muitas vezes eram falsificadas e revendendo aqui no Brasil. 
Mas atualmente isso mudou. O Paraguai deixou de ser o paraíso das falsificações e agora é possível encontrar uma infinidade de eletrônicos, cosméticos, perfumes, bebidas; todos originais e com ótimos preços. Claro, sabendo procurar e comprando em lojas de confiança.
As cataratas continuam maravilhosas e a infraestrutura do Parque do Iguaçu melhorou muito em relação ao que eu vi na década de 80. Outros pontos turísticos como Itaipu agora podem ser visitados, com roteiros pela parte interna ou externa da Usina, passeio pelo lago, museu, entre outros passeios.
Isso sem contar o fato que você estará ao lado da fronteira com a Argentina e o Paraguai, onde se pode fazer um tour internacional por outras inúmeras opções.
A segurança também é elogiável e nos deslocamentos por Foz do Iguaçu a pé, que fiz a noite, para jantar em restaurantes não tive nenhum problema.

Abaixo dividi as dicas e as impressões que tive em vários subtítulos, colocando o máximo de informação possível e para os que querem gastar pouco, como chegar a vários pontos turísticos de ônibus circular, incluindo várias dicas de compras no Paraguai
  • Quando ir e o que levar;
  • Quantos dias ficar;
  • Quais documentos levar;
  • Que moeda levar;
  • Hospedagem;
  • Alimentação;
  • Logística e
  • Passeios.



Quando ir e o que levar

A cidade é quente e abafada na maior parte do ano.
A partir de Abril a temperatura fica um pouco mais amena e as chuvas ocasionais diminuem bastante. Dá para aproveitar bem todos os pontos turísticos com Sol. 
Final de Abril, quando fomos lá, as temperaturas estavam acima de 30ºC e só pegamos uma leve garoa no inicio da noite em apenas 1 dia. 
As cataratas estavam com volume menor de água, mas lindas do mesmo jeito e nem nos molhamos na passarela do lado brasileiro.
Já na primavera e verão as temperaturas são muito mais altas e as chuvas são constantes com probabilidade de ter um grande volume de água nas cataratas, assim como as chances de se molhar na passarela.
Em geral a cidade pode ser visitada o ano todo, mas no verão as chuvas constantes podem atrapalhar um pouco os passeios. Atente a isso
Itens essenciais para quem pretende visitar a cidade:
Protetor Solar;
- Óculos de Sol;
- Repelente;
- Um boné ou chapéu para proteger do forte calor;
- Roupas leves, como bermudas e camisetas;
- E nada de casacos e blusas pesadas.

Dica importante: Com esse nosso clima de aquecimento global, é sempre bom checar a meteorologia alguns dias antes da viagem para não levar roupas a mais ou a menos. 



Quantos dias ficar

Não dá para fixar uma quantidade de dias para o turista que visita a cidade, já que depende muito do que você quer incluir no roteiro. 
Cataratas, Parque das Aves, Itaipu e compras no Paraguai eu já colocaria como obrigatórios, então nesse roteiro já se vão 3 dias. 
Mas se quer incluir outros passeios e visita à Argentina, eu recomendaria um feriado de 4 dias ou se tiver condições fique 5 dias na cidade, onde é possível visitar os principais pontos turísticos, inclusive Paraguai e Argentina e sem correria. 



Quais documentos levar: RG, Passaporte ou CNH

Para visitar Paraguai e Argentina, o ideal é somente o RG (Carteira de Identidade) com no mínimo 10 anos de uso e em bom estado. 
Ao fazer compras no Paraguai, muitas lojas solicitam o RG para emitir a nota fiscal e na Aduana do país você passa direto – nenhum tipo de fiscalização.
Já na Argentina, o controle é mais rígido. Assim que cruza a ponte sobre o Rio Iguaçu, você é obrigado a parar na Aduana e registrar a entrada no país, que não leva mais que uns 5 minutos. E depois no retorno é obrigatório registrar a saída do país também. O passaporte também pode ser usado, mas é bem mais pratico levar o RG - imagine a burocracia e os valores para tirar a 2ª via de um passaporte, se você perdê-lo ou alguém furtá-lo.

Dica importante 1: RG só o original – eles não aceitam RG autenticado ou de entidade de classe, como OAB, CRM, CREA, etc.......
Dica importante 2: Recentemente se fez um acordo Brasil-Argentina e agora se quiser visitar somente Puerto Iguazu, na Argentina, a imigração também aceita a CNH.



O que levar: Real, Dólar ou Pesos Argentinos

Para pagamentos das atrações turísticas de Foz do Iguaçu são aceitos cartões de credito, mas é sempre bom andar com um pouco de dinheiro para um lanchinho ou souvenir. 
Para compras no Paraguai recomendo levar dólares, apesar de que eles aceitam em Reais também, mas numa cotação desfavorável, pois todos os preços são na moeda americana.
Se for visitar as Cataratas do lado argentino é obrigatório levar pesos, pois eles só aceitam o pagamento nessa moeda. Pelo lado brasileiro é possível comprar os ingressos no cartão de credito. Ponto para nós. 
Para conseguir os pesos, troque o dinheiro em algumas casas de cambio de Foz do Iguaçu. Não é difícil encontrá-las e o pessoal do Hotel pode recomendar a mais próxima.
Para compras em Puerto Iguazu, na Argentina é possível pagar em Reais.
Compras com cartão de credito no Paraguai e na Argentina NÃO é recomendável. Muitos cobram uma taxa a mais, além de ter pagar IOF no pagamento da fatura.

Dica importante: Para compras no Paraguai, não leve dólares aqui do Brasil. Vale muito mais a pena trocar os Reais por Dólares nas casas de cambio de Ciudad Del Este. São confiáveis e não cobram nenhuma taxa e nem IOF. Quando fomos a cotação estava em R$ 3,52. 



Hospedagem

Fiz a pesquisa pela internet nos sites da CVC e do Booking. E depois de muitas cotações, comprei na CVC, que incluía hospedagem e passagem aérea.
O Hotel escolhido foi o Mirante, devido a proximidade com o centro e a poucos metros do Terminal de Transporte Urbano (conhecido como TTU), além de ser próximo de vários restaurantes. 
O Hotel fica no seguinte endereço: Av. República Argentina, 672.
O café da manhã não é tão variado e se voltasse lá escolheria outro Hotel, devido a alguns pequenos problemas que tivemos – por 2 dias agua fria nos chuveiros e outras coisas. 
Recomendaria escolher outro Hotel ou até um Hostel com localização próxima ao TTU, Av. Juscelino Kubistchek, Rua Tarobá e arredores.

Dica importante: Se mesmo assim for escolher o Hotel Mirante, fique atento que eles cobram uma taxa de turismo de R$ 2 dia/pessoa que é obrigatória e uma taxa de serviço de R$ 30 que é opcional. 



Alimentação

A cidade possui uma variedade razoável de restaurantes, principalmente churrascarias e comida árabe, mas os preços não são baratos.
Recomendaria 2 restaurantes que possuem bons preços e boa localização, próximos do Hotel onde eu fiquei e não muito longe do TTU.

- Churrascaria e Pizzaria Tropicana:
Todos os dias que fomos jantar lá encontramos o lugar lotado. Dá para escolher entre o buffet livre e o rodizio, que possuem preços diferentes. 
O buffet tem boa variedade e também está incluso pizzas e uma grande variedade de sobremesas, mas se quiser carnes é melhor escolher o rodizio.  
Localizada na Av. Juscelino Kubistchek, 250 com os seguintes preços: 
Rodizio: R$ 25 ou Buffet Livre: R$ 20 (Abril/2018).  
https://pt-br.facebook.com/tropicanafoz/

- Panificadora Doce Pão:
Funciona como padaria, mas também oferece boas opções de lanches e pratos com preços em media de R$ 20. A comida é simples, mas vale a pena.
Se localiza próximo do TTU, no mesmo quarteirão do Hotel Mirante.
Rua Tarobá, 992
www.facebook.com/DOCE-P%C3%83O-933929063303869

Outras opções baratas são as praças de alimentação dos 2 únicos shoppings centers da cidade:

- Cataratas JL Shopping:
Próximo ao centro, localizada na esquina da Republica Argentina com Av. Costa e Silva.
www.cataratasjlshopping.com.br

- Shopping Catuaí Palladium:
Localizado na Rodovia que leva até Cataratas do Iguaçu e ao Aeroporto.
www.catuaipalladium.com.br

Mas se você pretende também assistir a uma apresentação de danças, mas não se importa em pagar muito caro, recomendo 2 que fazem parte dos roteiros turísticos: 

- Churrascaria Rafain:
Comida à vontade que inclui um show de danças latinas, mas preço absurdo: R$ 129/pessoa. 
www.rafainchurrascaria.com.br

 - Jantar Noite Italiana no Restaurante do Hotel Bella Itália:
Comida italiana à vontade com show de musica ao vivo. Preço também alto: R$  85/pessoa. 
http://noiteitalianaemfoz.com.br
Não fui em nenhum desses 2 últimos, mas dizem que o jantar deles é muito farto e comida de primeira.   

Dica importante: Se quiser ir nesses 2 restaurantes caros, é possível conseguir descontos comprando nos quiosques ou pelo Delivery da empresa Ticket Loko. O desconto é bom, vale a pena.



Logística

- Ônibus circular:
Dá para ir a todos os pontos turísticos de ônibus, inclusive para o Paraguai e a Argentina. O valor da passagem para ônibus municipais é de R$ 3,55 e os ônibus para Paraguai e Argentina é de R$ 5 (Abril/2018).
Sem duvida nenhuma é a opção mais econômica e todas as linhas de ônibus saem do TTU (Terminal de Transporte Urbano), que se localiza na Av. Juscelino Kubitscheck, 1385, em frente ao Zoológico da cidade.
Já para Paraguai e Argentina os ônibus passam em uma rua paralela ao TTU, no lado norte do Terminal.
Veja nessa foto a relação dos ônibus: clique aqui


- Transfers de agencias:
Na cidade existem empresas que fazem transfers para os pontos turísticos e para o aeroporto, assim como vendem pacotes de passeios que incluem os ingressos.
Duas bem conhecidas são a Loumar Turismo e a Combo Iguassu e no site dessas empresas é possível comprar passeios ou os transfers, inclusive para compras no Paraguai. A Combo Iguassu possui um escritório dentro do Hotel Mirante
www.loumarturismo.com.br
www.comboiguassu.com.br

- Uber ou Taxis:
Na cidade já é possível encontrar o Uber, tendo a vantagem de saber quanto irá pagar antes de contratá-lo.
Para uma estimativa de preços, veja esse site: www.uber.com/pt-BR/fare-estimate/
Já os táxis, muitos deles possuem ponto em frente de muitos hotéis. Quer ter uma estimativa de tarifas para se deslocar na cidade: www.tarifadetaxi.com/foz-do-iguacu 

- Veículos alugados: 
É outra opção de transporte que é facilmente encontrada no Aeroporto ou com as agencias de turismo, mas recomendaria se estivesse em um grupo grande. 
Proporciona uma certa liberdade, mas locadoras não permitem que leve veiculo para o Paraguai e na Argentina você é obrigado a contratar o Seguro Carta Verde, que será uma taxa a mais. Normalmente as locadoras informam onde é possível contratar esse Seguro em Foz do Iguaçu, cujo valor gira em torno de R$ 70 por 3 dias



Abaixo as dicas dos passeios que fizemos

Em todos nossos passeios usamos o transporte público, que se mostrou eficiente e confiável.  
Já para a pagamento de algumas atrações turísticas, compramos nos quiosques da empresa Ticket Loko que oferecia vários descontos. Alguns são combos com descontos chegando a quase 50%, sendo possível comprar diretamente nos quiosques ou pelo delivery. Veja no site as atrações que são vendidas com descontos.
- Unidades dos quiosques/lojas: http://ticketloko.com/unidades.php
- Delivery (45) 3521-4040 das 08h às 17h ou WhatsApp: (45) 99106-3112
www.ticketloko.com.br



- Templo Budista



A entrada no Templo é gratuita e sua localização é bem afastada da cidade. Encontra-se no alto de um morro com vista panorâmica e próxima da Usina de Itaipu. 
Nos jardins bem cuidados do Templo estão mais de 100 estatuas espalhadas que remetem à religião budista, sendo que uma das mais bonitas é do Buda sentado.



No Santuário, que é uma bela construção de 2 andares a visitação só é liberada no térreo e lá é que estão pouco mais de 10 grandes estatuas. 
Quem quer conhecer um pouco mais sobre a religião vai se decepcionar, já que não existe uma visita guiada ou alguém para ajudar com as dúvidas. As estatuas também não possuem informações, mas mesmo assim vale a visita. Próximo da entrada existe uma lojinha com artigos religiosos e alguns souvenires.



Linha de ônibus até o local: linha 103, saindo do TTU. Veja os horários aqui.
Aberto de Terça à Domingo, das 9h30 às 17h00.


- Mesquita Muçulmana



É uma linda mesquita com 2 torres e uma enorme abóbada, onde inexistem cadeiras para os fieis, sendo considerada uma das maiores do país. A decoração interna possui tipografia em árabe e a visitação só é possível até um pequeno trecho da entrada.
Existem algumas regras para visitar o local: 
- devem-se deixar os sapatos na entrada;
- mulheres devem usar o véu islâmico e calças ou saias abaixo dos joelhos;
- para os homens é proibido o uso de bermudas. 



Não se preocupe com o véu; eles oferecem de graça para as mulheres. Já se precisar de uma saia comprida, eles alugam pelo preço de R$ 4.
Sempre fica uma pessoa da Mesquita na entrada para tirar duvidas dos visitantes – é uma verdadeira aula de religião muçulmana (é o que faltou no Templo Budista). Na lateral existe uma TV com imagens ao vivo da cidade de Meca, na Arábia Saudita. E de quebra ganhamos 2 livros sobre a religião.



No outro lado da rua, existe uma doceria com especialidades árabes. Para quem gosta de doces, é um paraíso. 
São aproximadamente 10 quarteirões a partir do TTU e creio que a corrida do Uber ou de um taxi deva ficar por volta de R$ 10. 
Já para quem vai de ônibus, deve embarcar no TTU nas linhas 101 ou 102 ou 103 ou 104 ou 107, sentido Ponte da Amizade e descer na Av. Juscelino Kubitscheck, por volta do numero 3000, em frente ao Hipermercado Big e lá seguir na caminhada por uns 3 quarteirões até a Mesquita. No ponto de ônibus da avenida já é possível visualizar de longe a enorme abobada da Mesquita, a leste. 
Acesso gratuito.
Aberto de 2ª a 6ª das 09h00 as 11h30min e das 14h00 as 16h00.
Sábado das 09h00 as 11h30min.


- Marco das 3 Fronteiras 


O lugar é na verdade um complexo turístico com uma vila cenográfica remetendo a arquitetura das Missões Jesuítas. 
Na entrada são mostradas peças de artesanato e cerâmica dos índios guaranis que habitaram o lugar. Imagens e fotos do filme “A Missão” são retratadas com informações e detalhes sobre a história do que realmente aconteceu a centenas de anos atrás (o filme é lindo, por sinal). 



Ao adentrar ao complexo, o visitante passa por uma grande loja que vende todo tipo de artigo para o turista. 
E em uma das salas do lugar é exibido um vídeo em homenagem ao desbravador espanhol Alvar Nunes, conhecido como Cabeza de Vaca, que foi um dos descobridores das Cataratas do Iguaçu.


De um lindo mirante com vista para o encontro dos Rios Iguaçu com o Paraná, é possível observar os outros 2 marcos: o da Argentina e do Paraguai.
O lugar também dispõe de um parquinho para crianças, além de um restaurante e algumas barraquinhas vendendo diferentes lanches. 
As 20:00 hrs se inicia shows de danças típicas com personagens vestidos “à caráter”.



Linha de ônibus até o local: linha 103, saindo do TTU. Cuidado para não confundir com a mesma linha de ônibus que segue para Templo Budista. É o mesmo numero, mas linhas diferentes. Veja os horários nessa foto.
Aberto todos os dias das 14h00 às 22h00. 
Valor do ingresso: R$ 23,60 
www.marcodastresfronteiras.com.br

Dica importante: Durante o dia é possível ter uma visão melhor do encontro dos Rios Iguaçu e Paraná, mas durante a noite tem a apresentação de shows culturais, com danças tipicas.  


- Parque das Aves 



É um parque onde você tem contato muito próximo com as aves, seguindo por uma trilha de cerca de 2 Km em meio à mata atlântica preservada.
O trajeto segue a trilha, passando por dentro de alguns viveiros que são enormes e com duração de quase 2 horas.


Alguns desses viveiros só podem ser observados pelo lado externo, mas nos que é possível entrar, a interação com as aves é maravilhosa, só não permitindo tocá-las. Ao longo da caminhada, muitas dessas aves ficam soltas e até “posam” para as fotos.



Em vários momentos passam em cima de nossas cabeças, como se estivessem fazendo voos rasantes. É impressionante esse contato tão próximo com elas.
São mais de 1300 aves das mais variadas espécies entre tucanos, papagaios, araras, flamingos, gralhas, corujas, harpias e muitas outras. É possível ver também alguns repteis e um borboletário.   
Muitas das aves do parque foram resgatadas de traficantes de animais ou vitimas de maus tratos e lá vão se recuperando aos poucos.



No maior viveiro do parque, onde ficam somente as araras, é possível entrar no local e ficar admirando a exibição delas, que ficam em ninhos estrategicamente colocados nas partes mais altas. 
O festival de cores das aves e das araras é maravilhoso, mas uma das que me chamou bastante a atenção é uma ave pré-histórica, chamada Casuar (tá quase no final da trilha). Ela me lembrou um pouco a ema, mas possui uma enorme crista e um pescoço todo colorido. 



O local dispõe também de um restaurante e lanchonetes e uma grande área para descanso.
É um passeio obrigatório tanto para adultos como crianças.
Sua localização fica em frente a entrada do Parque das Cataratas – é só atravessar a Rodovia.
Linha de ônibus até o local: linha 120 (Parque Nacional), saindo do TTU. 
Aberto todos os dias das 08h30 às 17h00
Valor do ingresso: R$ 45 
www.parquedasaves.com.br

Dica importante 1: Procure fazer com calma a visitação, para presenciar e conseguir fotografar no momento certo uma linda exibição das aves.


- Museu de Cera, Vale dos Dinossauros e Maravilhas do Mundo


- No Museu você encontra vários cenários com estatuas de personagens do cinema, televisão, esportes, história, politica, mas segundo informações que obtive, não valia a pena a visita.
- No Vale dos Dinossauros, você caminha por uma trilha onde são encontradas replicas animatrônicas que fazem alguns movimentos e emitem sons. 
Também não visitei o local e considero a atração voltada mais para o publico infantil.  
- Já nas Maravilhas do Mundo são miniaturas dos principais monumentos construídos pelo homem.
Essas foram a 3 únicas atrações que não visitamos e todas elas estão em um mesmo local e se localizam na Rodovia que segue para as Cataratas, sendo bem fácil identificar o lugar. O prédio é todo espelhado e na entrada existe uma enorme replica de um robô do filme Transformers. 
Linha de ônibus que passa pelo local: linha 120 (Parque Nacional), saindo do TTU.
Aberto todos os dias das 08h00 as 18h00
http://dreamland.com.br/c/foz-do-iguacu/

Dica importante: Se for visitar qualquer uma das atrações, vale a pena visitar os 3, pois o desconto é maior se incluir todos.


- Cataratas do Parque Nacional do Iguaçu



Sem duvida nenhuma é a principal atração turística da cidade e uma das mais bonitas do país. Não é a toa que foi eleita uma das 7 maravilhas naturais do planeta.
O Parque Nacional do Iguaçu, onde estão as cataratas, é um dos poucos locais que ainda restam de mata atlântica na região e a melhor maneira de se comprovar isso é chegando de avião na cidade, sendo possível visualizar uma imensa área verde preservada, próxima do aeroporto.

- Lado Brasileiro



Ao entrar no Parque, o visitante embarca em um ônibus panorâmico e ao longo da estrada até as Cataratas realiza algumas paradas para desembarques de pessoas que pretendem fazer passeios como Macuco Safari e a Trilha do Poço Preto (atrações pagas à parte). 
Para quem gosta de emoção e quer chegar bem próximo das quedas em um bote motorizado, o passeio do Macuco Safari é a pedida. É para corajosos e você sai de lá ensopado dos pés a cabeça. Só o valor que é muito alto: R$ 215 (Abril/2018).



Depois da parada no Macuco Safari, o ônibus continua pela estrada até a Trilha das Cataratas, onde todo mundo desce e depois segue na caminhada por trilha paralela ao Rio Iguaçu por cerca de 1,5 Km até chegar na passarela, ao lado do elevador. O percurso é todo feito pelo interior da mata em trilhas concretadas com algumas escadas, passando por belíssimos mirantes.



Ao longo do caminho as borboletas e os quatis são presença constante e as quedas do lado argentino podem ser vistas de frente.
O final da trilha termina na passarela, onde seguindo por mais alguns metros é possível chegar próximo do cânion com vista para a Garganta do Diabo. É uma das mais lindas vistas das Cataratas e por ser Outono, o volume de água das quedas não permitia formar aquele imenso vapor que deixam os visitantes todos molhados.



Ficamos ali por um bom tempo só apreciando as inúmeras quedas vistas daqui.
Próximo dali tem um elevador, junto de uma enorme queda e do topo é possível visualizar o Rio Iguaçu antes dele iniciar as quedas.
Algumas lanchonetes, ao lado do elevador, podem ser uma boa opção para um lanche, mas ao voltar para estrada e seguir por mais alguns metros rio acima, vai encontrar uma praça de alimentação e um restaurante com deck e vista para o Rio Iguaçu.
Linha de ônibus até o local: linha 120 (Parque Nacional), saindo do TTU. Veja os horários nessa foto.
E se quiser ir de carro, tem estacionamento no local.
Aberto todos os dias das 09h às 17h
Valor do ingresso ao parque: R$ 37,60.
www.cataratasdoiguacu.com.br

Dica importante: O passeio do Macuco Safari é a única atração onde se consegue desconto na Ticket Loko. Por ser um valor alto, vale a pena o desconto.



- Lado Argentino



O Parque do outro lado da fronteira possui 6 diferentes circuitos de trilhas e na maioria das vezes você chega até o topo de muitas quedas. 
As mais famosas são a Garganta del Diablo, Circuito Superior, Circuito Inferior e Ilha San Martin. Lá não é um ônibus panorâmico, mas sim um trenzinho elétrico que leva os visitantes até o inicio das caminhadas.  Algumas das trilhas são longas, por isso o ideal é reservar 1 dia inteiro apenas para visitar esse lado das Cataratas.
E a pergunta que não quer calar: qual o melhor lado para apreciar as Cataratas – o lado brasileiro ou o argentino? 
Essa deve ter sido minha quarta vez no lado brasileiro e perguntando para algumas pessoas que visitaram o lado argentino, cheguei a conclusão que não existe um lado melhor que o outro. 
Pelo lado brasileiro se visualiza de frente muitas das quedas argentinas, mas não se chega muito próxima a elas, assim como na Garganta do Diabo. Já pelo lado argentino se chega bem próximo das quedas, na maioria das vezes pelo topo e na Garganta do Diabo você chega a poucos metros dela, causando um pouco de inveja em nós, brasileiros. 
Por isso, se tiver condições e tempo, visite os dois lados. Ficará tão maravilhado quanto.
O ingresso do Parque no lado argentino só pode ser pago em pesos, por isso antes de ir para lá troque os Reais em Foz do Iguaçu. Para alimentação dentro do Parque, eles aceitam Reais como moeda. 
Junto da entrada do Parque existe uma casa de cambio onde dá para trocar Reais por Pesos, mas a cotação é bem desfavorável.
Valor do ingresso das Cataratas do lado argentino (Abril/2018): $480 pesos argentinos (Residentes do Mercosul), sendo que a cotação estava em R$0,20 para 1 peso argentino.
Para quem pretende ir de carro, o estacionamento também é pago.
Já para quem vai de ônibus circular, deve fazer o seguinte: numa rua ao lado do TTU passam alguns ônibus em direção a Puerto Iguazu, na Argentina com valor de R$ 5 e ao chegar na Rodoviária de lá, embarque em outro ônibus em direção ao Parque Nacional, com valor de cerca de R$ 20. 
www.iguazuargentina.com

Dica importante 1: Muita atenção ao visitar o lado argentino se for de ônibus,  já que no retorno para Foz do Iguaçu os últimos saem da Rodoviária de Puerto Iguazu por volta das 19:00 hrs.
Dica importante 2: Se estiver em um grupo grande compensa contratar um taxi em Foz ou mesmo em Puerto Iguazu ou até algum transfer de agencia. 
Dica importante 3: Para visitar todos os circuitos tem de chegar bem cedo no Parque e mesmo assim alguma trilha pode ficar de fora, por isso o Parque oferece desconto de 50% para visitação do 2º dia consecutivo. É só revalidar o ingresso na saída. 


- Usina Hidrelétrica de Itaipu




Itaipu em tupi guarani significa “a pedra que canta” e a Usina foi inaugurada em 1984 em um acordo entre Brasil e Paraguai, sendo que a energia produzida é dividida em 50% para cada país. É considerada a usina hidrelétrica que mais produz energia em todo o mundo e com informações da empresa, cerca de 15% da energia consumida no Brasil vem de lá. Já no Paraguai, 86% da energia consumida no país é produzida pela Usina. 
A barragem de concreto para reter a água do Rio Paraná tem cerca de 8 Km de extensão e quase 200 metros de altura. Apesar da grandiosidade e de muitos outros números surpreendentes, foi somente em 2007 que uma Fundação, pertencente a Usina, criou o Complexo Turístico Itaipu, visando explorar o turismo e suas atrações.



São 7 roteiros diferentes que exploram várias áreas da Usina. Dá para ficar 1 dia inteiro nas dependências dela conhecendo muita coisa.
A mais tradicional é a Visita Panorâmica, mas além dela tem também o Circuito Especial, a Iluminação da Barragem, o Refúgio Biológico, o Ecomuseu, o Polo Astronômico e o passeio de Catamarã no lago de Itaipu ao Por do Sol.
Cada passeio tem suas tarifas e horários diferenciados e podem ser reservados pelo site oficial da Usina ou comprando em agencias.



Nós fizemos o Circuito Especial e compramos os ingressos nos quiosques da Ticket Loko e por ser um dos passeios mais caros, valia a pena comprar com descontos e foi o que conseguimos.
Nosso passeio foi a tarde e depois de chegar no centro de recepção dos turistas, confirmamos os nossos ingressos nos guichês e de lá seguimos para uma autentica sala de cinema, onde um vídeo conta a história da construção da Usina. É um vídeo curto e depois seguimos para o ônibus que nos levaria para a Usina com o acompanhamento de um guia, que ia contando curiosidades e informações do lugar.
Paramos em frente aos dutos de água que fazem mover as turbinas (são 20 ao todo). Foi realmente assustador saber que apenas 2 dutos daqueles tem a mesma capacidade de vazão das Cataratas do Iguaçu.



Ali se iniciou nosso passeio por dentro das dependências da Usina, que vou descrever em mais detalhes abaixo.
São varias possibilidades para chegar na usina. Algumas agencias que vendem o passeio também incluem o transporte. 
Também é possível chegar ao local de transporte publico. São 3 linhas de ônibus que saem do TTU e o trajeto é feito em cerca de 40 minutos.
Linha de ônibus até o local: linhas 101 (Vila C Norte). 102 (Vila C Sul) e 104 (Vila C). 
Veja nessa foto as linhas de ônibus. E nessa outra foto os horários.
Visitas em todos os dias da semana, porém cada roteiro possui horários diferentes.
www.turismoitaipu.com.br

Dica importante 1: Pelo lado paraguaio da Usina os passeios são de graça. www.itaipu.gov.py
Dica importante 2: Para os roteiros do Circuito Especial e Panorâmica, escolha os passeios pela manhã, já que o Sol bate de frente com a barragem e as fotos ficam mais bonitas.
Dica importante 3: É possível também comprar diretamente os ingressos nos guichês do centro de visitantes da Usina, mas dependendo do roteiro a procura é grande, por isso é sempre bom comprar antecipadamente.
Dica importante 4: Se for comprar os ingressos pela Ticket Loko, é preferível adquirir o combo, que inclui vários roteiros dentro da Usina.


Abaixo todos os roteiros explorados pela Usina e os valores (Abril/2018)

Circuito Especial:



Foi o passeio que escolhemos e parte dele é feito pelo interior da Usina.
É possível ver toda a arquitetura interna da construção e visualizar até a base da usina, onde fica o leito seco do rio (não descemos até lá e só ficamos nos andares superiores). 
O roteiro também permite observar a sala de comando central, onde numa enorme tela é possível ver o que acontece na Usina - são números e mais números e qualquer problema é detectado por funcionários brasileiros e paraguaios que monitoram a produção de energia.



Depois seguimos para um imenso corredor de um extremo ao outro da Usina, onde dá para notar o tamanho dos rotores que giram as turbinas. 
O percurso ainda passa por uma das turbinas onde presenciamos o funcionamento dela, sendo um dos pontos mais fotografados e não sei se foi sorte ou azar, mas nosso grupo estava com apenas 5 pessoas + o guia e com isso só ficamos no interior da Usina por cerca de 40 minutos.



Terminada a visita interna, seguimos para o ônibus que nos levou até o mirante central, onde outro guia passava mais informações - era um funcionário que ajudou na construção da usina, chamado de barrageiro. Aqui embarcamos em outro ônibus para fazer o restante do circuito.
O roteiro seguiu para outro mirante, esse de frente para o vertedouro, que estava fechado – normalmente alguns dias da Primavera ou do Verão ele é aberto para diminuir a quantidade de água no lago, devido às chuvas.
Ao lado desse mirante existe um imenso jardim, onde cada funcionário que se aposenta, planta uma árvore – imagine o tamanho dele.



De volta ao ônibus, que seguia agora para o lado paraguaio da usina, o guia ia nos contando curiosidades de todos os lugares do trajeto. Depois de passar ao lado dos 20 dutos e embaixo do vertedouro, retornamos ao Brasil por cima da barragem, agora em direção ao porto, onde podemos observar parte do imenso lago da Usina e aqui se inicia outro circuito: o passeio de catamarã, mas nosso passeio finaliza aqui, retornando depois para o centro de visitantes. 
No roteiro do circuito especial existem algumas regras:
- idade mínima é de 14 anos.
- obrigatório o uso de calçados fechados, sem salto, e de roupas com comprimento abaixo do joelho.
 - proibido entrar com bolsas, mochilas ou sacolas. E se estiver com alguma, deve-se deixar em armários de aluguel no centro de visitantes.
- a duração do passeio é de cerca de 2h30min.
Valor: R$82,00.

Panorâmica: 



Ao final da exibição de um filme sobre a construção da barragem, os visitantes são levados de ônibus para 2 mirantes diferentes, onde a todo momento o guia vai contando curiosidades e tirando duvidas. Em seguida passa ao lado dos dutos, do vertedouro e por cima da barragem, seguindo depois para o Porto, onde o passeio é finalizado.
- As saídas são a cada 20 minutos com duração de 2 horas e os ingressos podem ser adquiridos na hora, sem necessidade de reserva. 
Valor: R$ 38
São oferecidos vários descontos: para crianças, estudantes, professores, idosos, doadores regulares de sangue, moradores da região.

Kattamaram: 



O barco tem capacidade para 200 pessoas e percorre parte do Lago no momento do Por do Sol. 
Valor: $80

Iluminação Noturna da Barragem: 
Os visitantes ficam no mirante central de onde podem contemplar o acendimento das luzes de quase 1000 refletores, ao som de uma trilha sonora. 
Em seguida o ônibus avança na direção do lado paraguaio passando pela usina toda iluminada.
Valor: $22

Refugio Biológico: 
O lugar foi criado para preservar a fauna e a flora ao longo da formação do reservatório da Usina. São vários animais de diversas espécies e quase 1000 generos de plantas que ficam abrigados no local.
O passeio se inicia por uma trilha de 2 Km em meio à mata nativa com o guia tirando duvidas a todo momento até chegar ao Refúgio.
Valor $26

Ecomuseu: 

É um grande acervo histórico dos povos que habitaram a região. É como se fosse uma volta ao passado, com fotos e objetos desde o período da pré-história até a construção da usina.
Valor: $14

Polo Astronômico: 
O espaço engloba planetário, observatório e plataforma de observações a olho nu com o objetivo de uma viagem pelo universo dos planetas, estrelas e galáxias. 
Estão expostas também replicas de naves espaciais e sondas.
Valor: $26


- Duty Free e Cassino em Puerto Iguazu, na Argentina


O Duty Free funciona como uma pequena opção de compras para quem não quer ir ao Paraguai e para quem conhece os Duty Free de aeroportos internacionais, esse é igual. É como se fosse um shopping center com várias pequenas lojas e com caixa único. 
São encontrados cosméticos, perfumes, bebidas, brinquedos, malas, roupas, chocolates, biscoitos, mas não espere muita variedade, principalmente a de eletrônicas que é pouquíssima. 
Não comprei nada e fui só por curiosidade mesmo. Na verdade me arrependi de ter ido no lugar. Perda de tempo. 
Sua localização fica logo depois que cruzar a Ponte Tancredo Neves e antes de chegar na Aduana, por isso não é necessário passar pela imigração, se você for fazer compras no local.
Para quem vai de ônibus, é só descer na Aduana e voltar alguns metros.
www.dutyfreeshoppuertoiguazu.com

Dica importante: Quem pretende fazer compras muito acima da cota de 300 dólares no Duty Free não terá problemas ao passar pelo posto da Receita Federal, já que eles não fazem vistoria.
Porém as mercadorias acima da cota podem ser apreendidas no Aeroporto, já que antes do raio x da Infraero, os ficais da Receita Federal também estão lá e você é obrigado a passar suas malas de mão pelo raio x deles. As despachadas também sofrem vistoria. Então é melhor não abusar.

- Cassino Iguazu
Depois de conhecer o Duty Free, aproveitamos também para visitar o Cassino, que fica logo após a imigração.
Para isso é necessário passar pela Aduana e registrar a entrada na Argentina. Depois disso siga por uns 500 metros e você estará em frente ao Cassino.
Chegamos por volta das 15h00 e só funcionavam as maquinas caça niqueis. Pôquer, Black Jack, roletas só iriam funcionar no inicio da noite. Eventualmente o Cassino realiza shows de musica com cantores brasileiros.
Algumas das maquinas caça niqueis aceitam pesos, outras aceitam dólares e outras em reais, por isso fique tranquilo, não precisa trocar seu dinheiro.
Arrisquei somente com $30 Reais e as apostas podem ser de $0,50, $0,75 e conforme ia jogando, eu perdia um pouco, ganhava outro e numa das jogadas ganhei $ 130 Reais. Isso depois de uns 40 minutos. Então era hora de parar e preferi sair de lá com $100 Reais de lucro. Nada mal.
Depois de ganhar um pouco de dinheiro fomos passear pela cidade de Puerto Iguazu e em um dos supermercados comprei alguns alfajores. E antes do inicio da noite voltamos para Foz do Iguaçu, dessa vez em um ônibus com ar condicionado.
Os ônibus que vão para Argentina (são 3 empresas) passam numa rua ao lado do TTU e o valor é de R$ 5. 
www.casinoiguazu.com

Dica importante: Para quem pretende jogar no Cassino, ele oferece transporte de graça, tanto para levar ao local, quanto para retornar a Foz do Iguaçu. Normalmente uma van passa em vários hotéis para levar os jogadores.


- Compras no Paraguai



Por muitos anos o Paraguai foi considerado sinônimo de falsificação. Ciudad Del Este era a meca do comercio de produtos falsos e de má qualidade. Quando algum produto importado dava algum problema, na mesma hora já pensava: é do Paraguai.
Mas atualmente isso mudou completamente. Os produtos falsos ainda continuam sendo vendidos, principalmente em barracas de ruas ou em pequenas lojas de galerias, mas em grandes lojas e shoppings centers é possível comprar produtos originais e de marcas famosas, tomando o devido cuidado, é claro. 
Você fica encantado com tudo e quer levar o que precisa e o que não precisa. Será muito difícil você ficar apenas algumas horas, pois é tanto coisa para ver que você esquece do tempo, sendo capaz de ficar 1 dia inteiro lá.
Nós fizemos as compras no Paraguai em 2 dias seguidos, sempre pela manhã, já que não queria ficar 1 dia inteiro lá e ir de loja em loja com muitas sacolas. 
Só ficamos na parte comercial da cidade e pudemos ver que ela não é nada bonita, além de ser bem suja. Dá até medo ver fios e mais fios caindo ao chão e escondidos por algumas fachadas bem feias. 
Nesse post vou descrever os cuidados, as boas lojas, logística, alimentação, cambio, o que evitar e o que fazer para não ser barrado pela Receita Federal.


Faça uma lista e pesquise antes: 
Para ajudar nas compras e não ficar perdendo tempo, primeiramente é preciso relacionar o que irá comprar no Paraguai. Faça uma lista, como a de um supermercado e depois pesquise em algumas lojas da internet.
O site mais confiável que pode ser considerado o ponto de partida é: www.comprasparaguai.com.br
Ele é como se fosse o Buscapé (famoso site de comparação de preços no Brasil) e sem duvida nenhuma é a primeira coisa a se fazer. 
Passe várias horas ou vários dias pesquisando no site o que quer comprar.
Verá que os preços não tem muita diferença entre uma loja e outra.
O que pode acontecer é muitas vezes o produto aparecer em uma loja num dia e no outro dia já estar em falta. Isso é comum.
E quando for ao Paraguai leve essa lista com a indicação das lojas, pois vai te facilitar bastante.


Lojas: 
Muitas das lojas no Paraguai ou estão em grandes shoppings centers ou em galerias. Quando a loja é grande, aí você encontra um prédio só dela. Monalisa, Cellshopp, Megaeletronicos, Nave são esses exemplos. 
Ao comprar em pequenas lojas das galerias é preciso ter muito cuidado. Os preços são bons, mas pode ter certeza que são produtos de 2ª linha, que não são originais. Infelizmente o falsificado ainda continua sendo vendido por lá.
A maioria das lojas que aparecem no site comprasparaguai pude comprovar que vendem produtos originais e são confiáveis, não tendo nenhum problema nas que comprei.

- Megaeletronicos:
Na avenida principal são duas lojas, que estão à esquerda. Uma bem no inicio e outra um pouco mais acima. O prédio dessa segunda loja é enorme e de qualquer ponto da avenida principal é possível visualizá-lo.
Todos os produtos são originais com uma enorme variedade e você tem a opção de testá-los antes de levar para casa. Foi o lugar onde encontrei os melhores preços. 
www.megaeletronicos.com
- Cellshop: 
Outra grande loja com muita variedade, localizada ao lado da Monalisa. Normalmente você compra no térreo, retira e testa nos andares superiores. Quando pesquisei um produto no site constava como indisponível, mas na loja estava disponível.  São varias unidades dessa loja na cidade.
www.cellshop.com/v2/br/
- Monalisa: 
Essa é uma que se destaca em Ciudad Del Este. Muito fácil de encontrar a loja; assim que se cruza a Ponte da Amizade um prédio à esquerda com a figura da Monalisa se destaca em meios aos outros. Perfumes e produtos de beleza é com eles. É tudo original, mas os preços são altos. A loja é linda e parece um oásis. São vários andares e lá você encontra bolsas femininas de $500 dólares ou perfumes de mais de $1000 dólares. É uma ótima loja para visitar, mas não espere bons preços. 
www.monalisa.com.py
- Casa BO, Centro Pionner, Nissei, Atacado Games também são lojas confiáveis com boa variedade e com bons preços.

Comentei das lojas, agora os shoppings que recomendo. Todos eles são climatizados (ar condicionado) com boas lojas e praças de alimentação.
- Shopping Americana: 
Localiza-se no lado direito da avenida principal e vale a pena. Lojas com bons preços e praça de alimentação no terceiro piso.
- Shopping Del Este: 
Outro que também se destaca e se localiza bem no inicio da avenida principal, à esquerda. Possui uma boa variedade de produtos e com praça de alimentação também. A maioria das agencias de Foz do Iguaçu deixam os turistas nesse shopping. 
www.shoppingdelesteparaguay.com
- Shopping Paris: 
Inaugurado recentemente e se localiza na primeira rua transversal à esquerda. É fácil de encontrá-lo, pois se destaca pela fachada toda envidraçada e espelhada. Internamente lembra muito os shoppings centers aqui do Brasil, tendo corredores largos, muita variedade e praça de alimentação. Lá também fica o Museu Planet 3D, que vale a pena conhecer com ingressos por volta de $ 80 Reais.  Tem desconto na Ticket Loko.
www.shoppingparis.com.py
- Shopping China: 
Tem esse nome, mas é uma loja que fica dentro do Shopping Paris e não pode ficar de fora. É gigante e ocupa todo o 3º piso. A variedade de produtos é imensa e parece um hipermercado. Você escolhe o que quer comprar, pega o produto e depois paga nos caixas. É tudo bem organizado, mas não é a loja mais barata - pelo menos a diferença de preços não é tão grande. Têm algumas boas promoções, mas tem de procurar. A seção de perfumes é enorme e deixei uma boa quantidade de dólares lá. Perca algumas horas nessa loja, pois vale a pena.


Logística: 
São várias opções para chegar em Ciudad Del Este:
- Agencias de turismo:  elas vendem o roteiro de leva e traz até a cidade. Normalmente é uma van que passa pelos hoteis e leva os hospedes até o outro lado da fronteira, deixando no estacionamento do Shopping Del Este. O retorno é com horário programado. A Comboiguassu e a Loumar realizam esse serviço que dá para reservar pelo Hotel ou pelo site. Valores entre $40 e $50 Reais.

- Ônibus internacionais: Fazem a linha até a Rodoviária de Ciudad Del Este: Logo que cruzar a Ponte da Amizade, desça bem em frente a Aduana e dali inicie o tour pelas lojas. Para o retorno pegue o ônibus ao longo da avenida principal ou em frente a Aduana. Em Foz do Iguaçu, eles passam em uma rua ao lado do TTU e podem ser uma opção barata, tanto para ida quanto para volta. Valor: R$ 5.

- Ônibus municipais: São inúmeras linhas de ônibus que passam em frente a Ponte da Amizade e dali o turista atravessa a ponte a pé. Elas saem do TTU e as linhas são a 10, 35, 101, 102, 103, 107. É só olhar nas placas na frente do ônibus; se estiver marcado Ponte da Amizade pode embarcar. Veja nessa foto as linhas.

- Táxis brasileiros: É uma opção cômoda, mas se você não acertar o valor antes, a corrida pode sair cara, já que é comum pegar transito pesado na fronteira. Pelos relatos que li, muitos usam essa opção de transporte porque estão com mercadorias acima da cota de 300 dólares.

- Mototaxistas e taxistas paraguaios: Ficam em grande numero próximos da Aduana e não me inspiraram confiança. Vi que eles passam direto no Posto da Receita Federal. 

- Carro particular: Não recomendo de jeito nenhum. O transito do outro lado da fronteira é horrível, mas se mesmo assim resolver ir, é muito melhor deixá-lo em um estacionamento particular em frente à Ponte, do lado brasileiro. 
E carro alugado, nem pensar. Locadoras proíbem que se cruze a fronteira com eles.


Cambio: 
Recomendo levar Reais e trocá-los por dólares em Casas de Cambio da cidade. São confiáveis e não cobram nenhuma taxa a mais. É só olhar a cotação do dia e trocar pelos dólares. Simples assim. 
O ideal é levar já a quantidade próxima do que vai gastar nas compras, por isso uma pesquisa de preços é fundamental antes de ir para lá.
Quando cruzei a fronteira fui diretamente para a Casa de Cambio Chaco, do lado esquerdo da avenida principal e junto da Loja Megaeletronicos. É uma das primeiras lojas da avenida e a troca é muito segura. Em toda a cidade são várias unidades. Veja no site: www.cambioschaco.com.py 
Nessas outras Casas de Cambio também li boas avaliações: 
Bonanza Cambios: http://bonanzacambios.com.py
Mercosur Cambios: www.mercosurcambios.com
As lojas também vendem em Real, mas não é sempre que se encontra alguma com cotação semelhante ou melhor do que Casas de Cambio. 
Comprar com cartão de crédito é desvantajoso, pois algumas lojas cobram uma pequena taxa a mais, além de ter de pagar IOF no pagamento da fatura.


Alimentação: 
Muitas grandes lojas ou shoppings centers dispõem de praças de alimentação. Monalisa, Shopping Americana, Shopping Del Este são exemplos.
É semelhante às praças de alimentação dos shoppings no Brasil, mas não espere muita variedade. 
Tem também um McDonalds, que fica dentro do Shopping Vendôme (uma rua antes de chegar na Monalisa) e vários Burger King: clique aqui para acessar o site e ver os endereços.
Para quem pretende ficar 1 dia inteiro fazendo compras, essas são as melhores opções.


Cota para compras: 
A Receita Federal permite que se compre no máximo $ 300 dólares em produtos. Se passar disso é obrigado a pagar 50% de imposto sobre o valor acima dessa cota. Por exemplo se suas compras chegaram a $ 400 dólares, você só paga o imposto em cima de $ 100 dólares.
Alguns objetos de uso pessoal como roupas, relógio de pulso, telefone celular, entre outros não entram na cota, mas depende muita da interpretação do fiscal. Por isso muito cuidado ao comprar o ultimo último lançamento do iPhone. Você pode ser taxado.
Exija sempre a nota fiscal nas lojas, pois na hora que o fiscal da Receita Federal conferir suas mercadorias, ele primeiro irá ver as notas fiscais - foi o que ocorreu comigo. Fizeram um pente fino nas minhas bolsas e olharam tudo, mas como estava dentro da cota, não tive problemas.
Se for pego com mercadorias acima de $ 300 dólares eles recolhem as mercadorias e emitem um boleto para você pagar lá mesmo no posto da Receita Federal. Feito o pagamento do imposto, te liberam a mercadoria.
E mantenha esse comprovante com você. No aeroporto existe também uma fiscalização da Receita Federal e se te pegarem novamente é só mostrar que pagou o imposto. Apesar de que eles podem checar o sistema e lá irá constar que você já pagou o imposto.


Abaixo seguem outras dicas para evitar “roubadas”:

  • Lembre-se que você irá "bater muita perna" visitando inúmeras lojas, então procure usar roupas e calçados confortáveis.
  • Não compre dos ambulantes, que possuem barracas nas calçadas. Produtos são baratos, mas 100% falsificados.
  • Não dê bola para pessoas que te perguntam onde você vai. São considerados guias e se oferecem para levar você a alguma loja, mas pode te certeza que são desconhecidas e que na maioria da vezes vendem produtos falsificados.
  • Evite os vendedores de rua. É muito comum eles te abordarem querendo vender inúmeros itens e o que você vai mais encontrar é o vendedor de meias. Apesar de serem muito baratas, é tudo falsificado e de qualidade duvidosa.
  • Para economizar tempo, visite as grandes lojas e os shoppings centers primeiramente. 
  • Não ostente joias e relógios e se possível leve uma mochila para colocar as compras.
  • Se não tiver feito cotação de preços pela internet, evite comprar na primeira loja que entrar. Se encontrar muita diferença de preço com certeza é falsificado.
  • Teste sempre o produto antes de levar. Todas as grandes lojas dispõem de setores para testar os produtos vendidos.
  • Sempre confira sua mercadoria antes de sair da loja.
  • O horário de funcionamento das lojas em Ciudad Del Este é de Segunda a Sábado das 07h00 as 16h00.
  • No Domingo poucas lojas abrem e mesmo assim só funcionam no período da manhã.
  • Se puder, evite fazer compras aos Sábados, já que é o dia de maior movimento.
  • Crianças menores de 18 anos devem obrigatoriamente estarem acompanhadas do pai e da mãe. Se apenas uma delas acompanhar a criança, será necessário apresentar uma autorização registrada em cartório assinada pelo pai ou pela mãe, autorizando o ingresso da criança nos países vizinhos. E o mais importante, a autorização deverá ser carimbada pela Polícia Federal antes de cruzar a fronteira.