20 de julho de 2012

Relato: 3 dias no Parque do Ibitipoca/MG - Dicas e Informações úteis - Julho/2012

Aqui é um pequeno relato com algumas informações e dicas do que ver no Parque e um roteiro do que fizemos pelos 3 circuitos.
Eu estava com a Márcia e a Sophia e fomos para lá no dia 9 de Julho de 2012 ficando por lá até o dia 13.
Pegamos dias de muito Sol e sempre entravamos no Parque pela manhã, saindo no final da tarde.



Foto ao lado: Janela do Céu






Fotos dos 3 dias no Parque: clique aqui



Praça principal do Distrito
O Parque está localizado no sul de MG, no distrito de Conceição de Ibitipoca, que pertence ao município de Lima Duarte.
E está distante cerca de 27 Km por estrada de terra do município e uns 60 Km de Juiz de Fora.
Com uma boa infra-estrutura, dispõe de portaria, centro de visitantes, estacionamento, restaurante onde se vende PFs e área de camping para 10 barracas em dias de semana e 15 nos finais de semana com banheiros. 
As caminhadas pelo parque são divididas em 3 circuitos: das Águas, do Pico do Pião e da Janela do Céu. 
E todas as trilhas são auto guiadas com placas indicativas e distâncias, por isso não existe a necessidade de guias. 
Administração do Parque
Horário de funcionamento: de Terça a Domingo das 07:00 às 17:00 hrs.
Ao entrar no Parque, é fornecido um folder que contem um mapa com as principais atrações do lugar, assim como as distâncias entre eles.

Valores do Parque - Julho/2012
Entrada: $5,00/pessoa (dias úteis) e $15,00 (fds e feriados) – estudante paga meia.
Camping: $30,00/pessoa
Estacionamento: $15,00 (encontrei alguns carros estacionados a cerca de 100 metros antes da entrada do Parque, evitando com isso a taxa de $15,00 – O problema é a longa caminhada da portaria até o camping, onde se iniciam as trilhas)

Telefone do Parque: (32) 3281-1101
www.ibitipoca.tur.br/parque/

Um dos melhores sites sobre a Vila e o Parque:

www.ibitipoca.tur.br


Paredão de Santo Antônio
Circuito das Águas

É o circuito mais tranqüilo dos três e pode ser feito até por crianças, claro que acompanhadas dos pais. Nós levamos a Sophia e ela adorou.
Tem um percurso de aproximadamente 5 Km, entre ida e volta.
Seu trajeto passa por poços, cachoeiras, praias, lindas formações rochosas e com ótimos visuais. 
É um roteiro que segue paralelo ao Rio do Salto, próximo à base dos paredões para depois retornar pelo topo do mesmo.
Saindo do restaurante e seguindo pela trilha em direção a Ponte de Pedra e no sentido anti-horário tem como atrações: Paredão de Santo Antônio, o Lago das Miragens, a Ponte de Pedra, Cachoeira dos Macacos, Cachoeira da Pedra Quadrada, Prainha, Prainha das Elfas, Lago Negro, Ducha, Lago dos Espelhos e por último a Gruta dos Coelhos, já próximo da sede do PE.
Abaixo segue a relação dos lugares por onde passamos:

Lago das Miragens
Paredão de Santo Antônio:
É o primeiro atrativo desse circuito e fica um pouco acima do Lago das Miragens. No topo existe um mirante onde é possível ter uma bela visão de quase todo o parque.

Lago das Miragens:
Formado pelo Rio do Salto e com profundidade de até 3 metros. Fica junto a um paredão e o local dispõe de uma boia, junto à margem.
Suas águas têm cor de Coca Cola, devido a decomposição de material orgânico no rio.
Cachoeira dos Macacos

Ponte de Pedra:
Formação rochosa que tem o aspecto de um grande arco, servindo de passagem para as águas do Rio do Salto. No topo é possível atravessar de um lado ao outro, como se fosse uma ponte mesmo.

Cachoeira dos Macacos:
Não é uma cachoeira com queda muito alta e se localiza bem no final do túnel da Ponte de Pedra. 
Em sua base existe uma piscina natural, propícia para banhos e com muita vegetação nas suas margens. 
Prainha

Cachoeira da Pedra Quadrada:
Está a poucos metros da piscina da Cachoeira dos Macacos, seguindo rio abaixo.
Não existe uma trilha oficial para se chegar na sua base, já que está fora dos limites do Parque, somente sendo possível chegar no topo da mesma.

Prainha:
Local de fácil acesso que se assemelha a uma pequena praia, às margens do Rio do Salto e a poucos minutos do Restaurante. Nesse trecho o rio é rasinho, sendo um dos locais mais procurados do parque.
Lago Negro

Prainha das Elfas:
Não existe sinalização para esse local, mas fica próximo da trilha principal, pouco depois da Prainha. É um pequeno poço rodeado de um banco de areia.

Lago Negro:
É uma piscina natural formada no Rio do Salto e está localizada um pouco abaixo da Ducha. Possui placas de sinalização.
O lugar possui paredões nas laterais e sua profundidade está em torno de 5 metros. 
Lago dos Espelhos

Ducha:
É uma pequena cachoeira com queda de aproximadamente 4 metros, formando um pequeno lago na sua base, perfeito para um banho

Lago dos Espelhos:
É uma piscina natural com um banco de areia nas suas margens, tendo uma pequena cachoeira. É cercado de vegetação.

Gruta dos Coelhos:
Localizado entre o centro de visitantes e o camping. 
É cercado de vegetação, tendo uma declividade na sua entrada. No seu interior possui alguns salões e o final da gruta é possível chegar se arrastando pelos corredores estreitos.








Janela do Céu
Circuito Janela do Céu

É o circuito mais longo de todo o parque e se inicia pouco depois da portaria, entrando por uma trilha à esquerda.
Entre ida e volta tem cerca de 16 Km e no início possui um aclive muito acentuado de aproximadamente 450 metros de desnível. 
Não possui áreas de sombra, a não ser próximo da Janela do Céu.
Entre as atrações estão o Morro do Cruzeiro, Gruta da Cruz, Lombada (ou Pico do Ibitipoca), Gruta dos Fugitivos, Gruta dos Três Arcos, Gruta dos Moreiras (as 3 muito próximas uma da outra), Cachoeirinha e por fim a Janela do Céu.
A Janela do Céu possui uma queda de aproximadamente 20 metros, mas não é possível visualizar sua cachoeira, somente a parte alta.
Cerca de 10 anos atrás era autorizado o acesso à Gruta das Bromélias (hoje está fechada por medidas de preservação), que é considerada a segunda maior caverna de formação quartzítica do mundo com cerca de 3 Km de extensão.
Gruta da Cruz
Morro do Cruzeiro:
No local existe uma cruz encravada nas rochas e ao lado alguns bancos para descanso, possuindo um mirante de parte do Parque.
Fica ao lado da Gruta da Cruz.

Gruta da Cruz:
De formação quartzítica, essa gruta possui 3 salões e algumas escadas para acessar os lugares mais altos. No centro do primeiro salão existe uma claraboia que permite a entrada de luz natural e sua entrada é caracterizada por árvores de pequeno porte como bromélias e samambaias.

Gruta dos Fugitivos
Lombada:
Conhecido também como Pico do Ibitipoca, o lugar é o ponto culminante do Parque com 1784 metros de altitude, possuindo uma vista privilegiada de todo o parque e região ao redor. No local existe uma antena de estação meteorológica.

Gruta dos Fugitivos:
De formação quartzítica essa gruta é pequena e serve de passagem para uma outra bem ao lado, que é a Gruta dos 3 Arcos.


Gruta dos Moreiras
Gruta dos 3 arcos:
É caracterizada por apresentar 3 grandes aberturas que se convergem, tendo no centro um desnível para um dos arcos. Formada por um único salão, é a única que não necessita de lanternas, já que a mesma é bastante iluminada. 

Gruta dos Moreiras:
De formação quartzítica, possuindo duas entradas que descem pelo terreno íngreme até alcançar pequenos corredores que se ligam no seu interior. Possui salões pequenos e médios e em uma das entradas corre um filete de água para o interior da gruta, formando pequenas valas. Se estende por cerca de 500 metros.
Cachoeirinha
Cachoeirinha:
É uma queda de uns 30 metros do Rio Vermelho de pequeno volume e que deságua em um pequeno poço rodeado por paredões e um banco de areia, formando uma pequena praia. 

Janela do Céu:
Considerado um dos pontos principais do Parque e um dos mais procurados.
O lugar é um mirante, localizado no topo da cachoeira e que tem uma vista panorâmica de todo vale.
Recebe esse nome porque no local se forma um pequeno arco sobre o leito do rio recoberto por vegetação, proporcionando uma bela visão do céu e dos vales à jusante do Rio Vermelho, que lembra uma janela mesmo. Ao lado do topo da cachoeira existe um mirante natural.








Circuito do Pico do Pião

Gruta do Monjolinho
Tem um percurso razoavelmente curto, mas de aclive bastante acentuado, totalizando cerca de 11 Km entre ida e volta.
No final do percurso dessa trilha está localizado o Pico do Pião, que é o segundo ponto mais alto do Parque com 1720 metros de altitude. 

Gruta do Monjolinho:
Formada pela ação da água e está localizada embaixo da ponte sobre o Rio Monjolinho. Para acessá-la é necessário mergulhar e atravessar por dutos embaixo dágua. Ao lado está uma pequena piscina natural.


Gruta do Pião

Gruta do Pião:
É uma gruta com uma única entrada e com vários pequenos salões no seu interior. 
Tem uma extensão de pouco mais de 100 metros, mas quanto mais se adentra para seu interior, mas estreitos vão ficando seus corredores. 

Gruta dos Viajantes:
Possui uma abertura muito grande, protegida por mata e após a entrada segue-se por cerca de 700 metros até sair no outro extremo da Gruta, onde se permite a entrada de luz natural.
Seu interior apresenta várias pequenas galerias.


Ruínas de antiga capela no Pico do Pião
Pico do Pião:
Com 1720 metros de altitude o lugar é o segundo ponto mais alto do Parque e ali ficam as ruínas da antiga Capela Senhor Bom Jesus da Serra, onde só restam o altar e o piso. 
Do Pico se tem uma visão de quase 360° da região do Parque. 
Ao norte e ao sul do Pico segue uma trilha, que parece uma estrada, que é o limite do Parque.
Daqui é possível atingir a Janela do Céu seguindo ao norte, sem ter de voltar até a trilha principal.






Como foram nossas caminhadas pelo Parque
Relógio do Sol
1º dia
Por ser a primeira vez no Parque, decidimos fazer o circuito mais tranquilo: o das Águas.
Saímos do restaurante pouco depois das 10h30min seguindo na direção da Prainha e viramos na bifurcação onde as placas indicavam Ponte de Pedra Cachoeira dos Macacos à direita.
Depois de chegar nas margens do Rio do Salto, fomos seguindo paralelamente a ele até chegar no Paredão do Santo Antônio uns 5 minutos depois.
Depois de alguns clics seguimos pela trilha até o Lago das Miragens onde chegamos as 10h50min. 
Ficamos por alguns minutos por aqui e logo seguimos até a Ponte de Pedra, onde deixei a Márcia e a Sophia e dali eu fui conhecer a Cachoeira dos Macacos.
Restaurante visto da trilha
Ao voltar para a Ponte de Pedra seguimos na trilha de retorno, margeando o topo do paredão, passando por belos mirantes até chegar nas escadas que dá acesso a um atalho para a Prainha.
Como a Sophia já estava um pouco cansada, deixamos ela ficar brincando nas areias do lugar pelo resto da tarde. 
No lugar existe até um deck construído junto a Prainha e com alguns pontos de sombra é ótima opção para ficar descansando.
Seguindo rio acima, existem outras atrações desse circuito, mas deixamos para visitar no terceiro dia no Parque. 
Distâncias:
Portaria – Camping: 1,3 Km
Camping - Ponte de Pedra: 800 metros
Ponte de Pedra - Cachoeira dos Macacos: 400 metros


Pico da Lombada
2º dia 
Nesse dia entrei sozinho no Parque para fazer o roteiro mais logo e cansativo: o da Janela do Céu.
Depois de passar pela Portaria, segui por alguns mts até a bifurcação à esquerda.
Dali é uma subida íngreme até a Lombada em um desnível de quase 500 metros.
Iniciei a caminhada na trilha as 10h30min e as 11h10min já estava no Morro do Cruzeiro.
Dali segui por um pequeno trecho de trilha até chegar na Gruta da Cruz as 11h15min.
É uma gruta pequena e logo voltei para a caminhada, seguindo trilha acima até chegar no topo do Parque, as 11h50min, em um local chamado Lombada (ou Pico do Ibitipoca).
Na Janela do Céu

Fiquei apreciando a vista do lugar que possui uma visão de 360º de toda a região.
A partir desse ponto, a trilha segue numa leve inclinação na direção da Janela do Céu.
As 12h20min cheguei na bifurcação das Grutas dos Fugitivos e 3 Arcos onde fiquei por um certo tempo.
No retorno passei ainda pela Gruta das Moreiras e depois continuei descendo na direção da Janela.
Peguei uma bifurcação à direita que logo abaixo cruza o Rio Vermelho e em seguida cheguei no topo da Cachoeirinha as 13h40min, descendo até a base dela onde existe um pequeno poço e um banco de areia.
Retornando para Portaria

Voltando para a trilha principal, fui descendo até chegar na Janela do Céu as 14h10min.
Depois de vários clics e um pequeno lanche, saí de lá as 14h50min em direção a entrada do Parque, mas não voltei pela mesma trilha. Segui pela trilha ao sul do parque até chegar na portaria as 16h30min onde um pouco a frente a Márcia me pegou de carro, retornando para a Vila.

Distâncias:
Portaria – Gruta da Cruz: 2,8 Km
Gruta da Cruz – Lombada (Pico do Ibitipoca): 1,6 Km
Lombada – Gruta dos 3 Arcos: 1,3 Km
Gruta dos 3 Arcos – Janela do Céu: 2,3 Km.


Acesso a Gruta do Monjolinho
3º dia
Iniciamos novamente a caminhada ao lado do restaurante as 10h30min e nesse dia a Márcia e a Sophia estavam comigo, mas elas iriam conhecer algumas atrações do Circuito das Águas que não conhecemos no primeiro dia e eu fui para fazer o Circuito do Pico do Pião. 
Depois de deixá-las na bifurcação para o Lago dos Espelhos as 10h50min, segui na trilha em direção ao Pico do Pião, passando pela Gruta do Monjolinho.
Voltei logo para a trilha continuando a caminhada e depois da bifurcação para a Janela do Céu, à esquerda, a trilha segue por aclive bastante acentuado até passar pela Gruta do Pião, onde cheguei as 11h50min.
Gruta dos Viajantes

Não fiquei muito tempo dentro da Gruta, porque conforme vai adentrando, ela vai se afunilando cada vez mais e é preciso se arrastar para continuar a visita interior adentro.
Voltando para a caminhada, as 12h10min cheguei na bifurcação para a Gruta dos Viajantes, onde caminhei por alguns minutos até chegar nas escadarias que leva até o fundo do vale onde fica a entrada da Gruta.
A descida é bem tranquila e no local encontrei um casal do interior de SP, que estava explorando o lugar.
Depois de seguir pelo interior da Gruta por uns 500 metros, saí no outro extremo, onde existe uma imensa área verde.
Pico do Pião
Alguns clics do lugar e retornei para a trilha em direção ao topo do Pico do Pião, aonde cheguei por volta das 13:00 hrs.
No lugar existem ruínas de uma antiga capela, onde só restam o piso e o altar.
Não fiquei muito tempo aqui porque o vento estava muito forte e uns 10 minutos depois já estava descendo pelas escadas retornando para o restaurante. 
A descida foi rápida e no caminho encontrei um casal que estava parado no meio da subida, dizendo que estavam exaustos e só continuariam até a Gruta do Pião.
Pouco antes de chegar na Prainha, segui na bifurcação para o lago dos Espelhos, passando antes na Ducha e no Lago Negro as 14:00 hrs. 
São lugares que não ficam tão longe da trilha principal e valem a pena conhecer.
Depois desses 3 lugares, segui para a Prainha e lá encontrei a Márcia e a Sophia brincando nas areias e por volta das 15h30min seguimos até o estacionamento, retornando para a Vila.

Distâncias:
Camping – Prainha: 200 metros
Prainha – Lago dos Espelhos: 875 metros
Prainha – Gruta do Monjolinho: 1,6 Km
Gruta do Monjolinho – Gruta do Pião: 1,6 Km
Gruta do Pião – Gruta dos Viajantes: 1 Km
Gruta do Pião – Pico do Pião: 1,2 Km




Restaurante do Parque
Alimentação
No centro da Vila, ao lado da Padaria Ibitipão (muito boa também para o café da manhã) existem alguns bons restaurantes que aceitam pagamento com cartão e não cobram muito caro:
# Restaurante e Pizzaria Serra Nostra
# Restaurante Ibitilua
# Cleuza's Bar
# No interior do Parque existe um restaurante que vende PFs e lanches e está localizado ao lado da área de camping.





Pousada do Sossego



Hospedagem
Ficamos na Pousada do Sossego e pagamos a diária de $60,00/casal sem café da manhã: (32) 3281-8137 (32)8402-7289 que pertence à Fátima; pessoa muito hospitaleira. (não aceita cartões).
www.ibitipoca.tur.br/sossego




 




Como Chegar em Ibitipoca de Carro
Partimos de São Paulo por uns 280 Km pela Fernão Dias até o trevo de Campanha/MG.
Depois é só seguir por cerca de 60 Km pela BR 267 até Caxambu e de lá pouco mais de 140 Km até Lima Duarte, seguindo na direção de Juiz de Fora. Estando em Lima Duarte são cerca de 27 Km por estradas de terra até Conceição do Ibitipoca. Saímos as 09h30min de São Paulo, parando em um restaurante na estrada para almoçar e chegando em Lima Duarte pouco depois das 16:00 hrs.



Posto de gasolina em Lima Duarte
Como chegar em Ibitipoca de ônibus
É um pouco complicado. Seguem algumas opções:
- Para quem sai de SP uma delas é chegando em Caxambu/MG e de lá pegar um outro ônibus para Juiz de Fora pela Viação Santa Cruz e descendo na Rodovia, junto a entrada de Lima Duarte. www.viacaosantacruz.com.br
- Outra opção é seguir em qualquer ônibus até Juiz de Fora.
- De Juiz de Fora é só pegar um ônibus até Lima Duarte da empresa Viação Bassamar. O valor da passagem em 2015 está por volta de $15 reais. Na página do Facebook da empresa é possível ver os horários: Clique aqui.
- Em Lima Duarte pegar o circular da empresa Vimara até Conceição de Ibitipoca. Em 2015 o valor da passagem é de pouco mais de $10 reais.
www.limaduarte.com/transporte



Algumas dicas e informações úteis:

# Quem curte cavernas com estalactites, estalagmites e outras formações, o PETAR, localizado na região sul do estado de SP, é o paraíso delas. São muitas e de todos os tipos. Já visitei o lugar por 2x, em 2005 e 2013 e vale a pena. São dois relatos com várias dicas:
http://trilhasetrips.blogspot.com.br/2013/05/relato-cavernas-do-petar-nucleo.html
http://trilhasetrips.blogspot.com.br/2013/04/relato-cavernas-do-petar-nucleos.html

# Em Conceição de Ibitipoca não existem bancos e nem caixas eletrônicos. Em um supermercado da Vila existe um CAIXA AQUI da CEF.

# Sinal para telefone celular da VIVO só tem pouco antes de chegar na Vila, no alto do morro e também nas partes altas do Parque. Dizem que só a CLARO tem sinal na região.

# É recomendável levar para o Parque um protetor solar e um boné com abas.

# Para se fazer todos os Circuitos do Parque, reserve no mínimo 3 dias para conhecer todas as atrações. 

# Nos feriados o Parque costuma estar lotado e a entrada de visitantes é restrita a um certo número de pessoas, portanto fique atento a isso, pois corre-se o risco de chegar na Portaria e não entrar. 

# (Atualizado Março/2015) No início de Março de 2015 o Parque aumentou o limite de visitantes/dia passando de 800 para 1200 pessoas. Veja nesse link maiores detalhes: clique aqui.

# A melhor época para visitar o Parque é de Abril a Outubro, quando chove menos. 

# Não existe Posto de Gasolina em Conceição de Ibitipoca. Só em Lima Duarte.

# Nas visitas às Grutas leve sempre um item obrigatório: a lanterna. 

# Por serem de formação quartzítica, em nenhuma delas se encontrará espeleotemas, principalmente estalactites e estalagmites. 

16 comentários:

  1. mochilademulher13 maio, 2013

    Sempre impecável e com informações muito úteis! Parabéns pela linda Sophia e pelo roteiro em família! Abç!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Carol.

      Esse é um parque voltado para familia mesmo.
      Com trilhas auto guiadas, algumas pessoas podem não gostar.
      Mas é o ideal para quem for visitar com filhos (as).

      Gostamos muito e a Sophia era a mais animada.


      Abcs

      Excluir
  2. Espetáculo de site!! Parabens!! Foi total explícito nas informações...melhor, mais detalhado, impossível!!
    E, é pra lá que vamos no feriado conferir essas maravilhas de perto!! SHOW!!!
    Abç!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Sol.
      Ao visitar o Parque prepare para caminhar muito hein.
      Alguns circuitos vc tem de começar bem de manhazinha, se quiser aproveitar todas as atrações.
      É isso aí.
      Aproveite.

      Abcs

      Excluir
  3. Olá Augusto:
    Belo blog. Sou geólogo, minha esposa é geógrafa. Participo do Projeto Paleotocas - aquela gruta do Pião, com câmaras, pilares, "mais apertadinha" no fundo, uma entrada, vários salões: tem certeza que ela foi criada por águas subterrâneas? Não poderia ser uma paleotoca das grandes? Você tem mais fotos dela? Nosso email do Projeto é paleotocas@gmail.com.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quase todas as grutas do Parque de Ibitipoca são formadas pela erosão fluvial, mas existem vários outros processos envolvidos.
      No geral o intemperismo é o grande causador das cavidades que formaram essas grutas.
      E não creio que a Gruta do Pião seja bem maior do que é.
      Conforme vc vai entrando nela, vai se estreitando cada vez mais e tendo aquelas pequenas câmaras.
      Pode ser que vc encontre outras grutas naquela pequena escarpa, mas não creio que elas estarão interligadas entre si.
      Como estava com o tempo contado para fazer o circuito do Pião, não avancei muito nessa Gruta, por isso as únicas fotos que tenho são essas do álbum.

      Abcs

      Excluir
  4. Oi Augusto, muito obrigada por responder minhas perguntas sobre o parque.. Infelizmente acho que não vai ser dessa vez que irei conhecer Ibitipoca. Me informei e parece que está chovendo muito na região por esses dias, ne adianta ir p lá agora... Estou revendo minha viagem, qualquer coisa faço uma nova pergunta para você, rsrsr...
    Obrigada por enquanto, abraços...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Juliane, tudo bom?

      O verão não é uma boa época para visitar o Parque de Ibitipoca.
      Além da chuva, que é uma certeza, tem o problema da insolação.
      Todas as trilhas do Parque são feitas em áreas abertas e com o Sol o tempo todo na cabeça.
      É desgastante demais.
      Não vale a pena.

      Fomos em pleno inverno p/ lá e mesmo assim o Sol castigou bastante.
      Se puder ir a partir de Maio, acho melhor.

      Qdo decidir e tiver mais dúvidas é só perguntar.


      Abcs

      Excluir
  5. Oi Augusto,
    Adorei seu relato. Estou programando minha ida ao Parque Ibitipoca.
    Você poderia me explicar o que é " espeleotemas, principalmente estalactites e estalagmites."

    Obrigada,

    Jaqueline

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jaqueline, tudo bom?

      Uma explicação bem genérica: os espeleotemas são formações rochosas que são criadas pela ação da água dentro das cavernas, durante milhares e milhares de anos.
      As estalactites se formam no teto, de cima p/ baixo e as estalagmites se formam no chão, de baixo p/ cima.
      Aqui em SP, já visitei 2 Núcleos que fazem parte do PETAR, que é um parque onde existem muitas cavernas.
      Veja esses dois relatos:
      http://trilhasetrips.blogspot.com.br/2013/05/relato-cavernas-do-petar-nucleo.html
      e
      http://trilhasetrips.blogspot.com.br/2013/04/relato-cavernas-do-petar-nucleos.html

      Seguem algumas fotos de estalactites e estalagmites que tiramos dentro dessas cavernas:
      https://lh3.googleusercontent.com/-tvcrzQQPdf0/UZ45RjngSbI/AAAAAAAAtvw/WBwfRJaWfSM/w825-h619-no/039-+Estalactites.JPG

      https://lh5.googleusercontent.com/-7AKdVaxzEf4/UZ48b3cnySI/AAAAAAAAt0s/Uuy4dhLDXKA/w825-h619-no/059-+Se+encostar%252C+quebra.JPG

      https://lh3.googleusercontent.com/-5-AxP9SSP4Q/UZ5Ymg_8puI/AAAAAAAAuRE/e8eaFFuSiVY/w825-h619-no/234-+In%25C3%25BAmeras+estalactites.JPG



      Abcs

      Excluir
  6. Excelente dicas! Muito obrigado Augusto! E Parabéns pelo Blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jean.
      Valeu pelo incentivo.

      O Parque do Ibitipoca é sem duvida um dos melhores no que oferece e no atendimento ao visitante.
      Sem dúvida nenhuma vale qqer esforço para conhecê-lo.


      Abcs

      Excluir
  7. Olá, Augusto.
    Passando por aqui só para agradecer mais uma vez pelas sempre precisas informações em seus relatos. Estamos indo para o PE Ibitipoca nessa 5a feira e ficaremos até domingo. Um abraço e quem sabe um dia desses conseguimos fazer uma trilha juntos.
    Um abraço,
    Beto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Beto, blz?
      Ibitipoca é um dos melhores parques que já visitei. Coloca no chinelo muito parque nacional por aí.
      Só é ruim a logística, mas vale a pena conhecer o lugar.
      Com essa longa estiagem talvez vc pegue os rios com pouca água, mas assim mesmo é um lindo lugar.


      Abcs

      Excluir
  8. Estamos pensando em conhecer Ibitipoca em abril/2015 e seus relatos form muito úteis. Tenho uma filha de 10 anos e outra de 15. Estava preocupada com a menorzinha. Mas como você citou sua filha na trilha mais light eu até me animei para levá-la. Moramos no RJ e também gostamos muito de trilhas em parques. Nossa última foi na Chapada dos Veadeiros. Então, quando precisarem de alguma dica ou ajuda, fiquem à vontade. Abç! Renata Barros (renatabnpg@ig.com.br)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Renata.
      Creio que dê até p/ c levar suas filhas em dois circuitos: o das águas e do pico do pião.
      O das águas dá para conhecer a parte baixa e a parte alta em apenas 1 dia.
      Já do do pião eu reservaria um outro dia.
      Janela do Céu eu achei muito puxado. Não recomendaria para crianças.

      Por enquanto estamos escolhendo roteiros de passeios próximos a SP.
      Aqui próximo existem vários parques que ainda pretendemos levar nossa filha.
      Mas valeu pela ajuda.

      Abcs

      Excluir